Luanda – Viver num país onde existe uma Constituição que concede direitos e liberdades aos cidadãos, mas cujas instituições negam o usufruto desses direitos e dessas liberdades, pisoteando de forma sistemática, insistente e persistente esses pressupostos legais, não tem tornado a vida fácil aos angolanos.

Fonte: Club-k.net

Viver numa Angola onde os órgãos de comunicação social do Estado (TPA, RNA, Jornal de Angola, ANGOP), que vivem dos dinheiros de todos nós, servem apenas (repito e sublinho “apenas”) o MPLA e o governo por este sustentado, tem sido uma agonia quotidiana para a maioria esmagadora dos cidadãos autóctones desta terra.

A proeza da criação dessa iniciativa chamada “Club-K”, com a nobre finalidade de dar voz aos milhões a quem é negada a possibilidade de terem voz caiu como um verdadeiro maná em pleno deserto.

Hoje, graças a iniciativas como o Club-K, é possível termos uma informação plural, diversa e diversificada, que permite o contraditório e a participação dos mais variados internautas, cada um dando a sua opinião, tecendo o seu comentário, interpretando as coisas do seu ângulo, qualquer que este seja, por vezes de forma desapaixonada, outras não; nalguns casos com rigor e ética, noutros casos com a maior falta de respeito e educação, mas sempre com total liberdade!

Só tu, Club-K, para dares essa oportunidade e essa liberdade a nós todos e a todos nós, resistindo sempre a todas as tentativas de sedução e de intimidação.

Bem haja!



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: