A carregar...

Vídeo de agressão a duas mulheres foi gravado no "Supermercado Prelex" arredores do Avô Kumbi

1 1 1 1 1 Como classifica este artigo? 2.29 (12 Votos)

Luanda – Finalmente, o vídeo que apresenta duas mulheres angolanas (indefesas) a serem barbaramente espancadas por vários homens, foi gravado recentemente dentro do "Supermercado Prelex", localizada nos arredores do bairro “Avô Kumbi” (na rua Machado Saldanha que liga o laboratório criminalista da DNIC até a paragem do Avô Kumbi), no distrito de Kilamba Kiaxi, município de Belas, em Luanda.

Fonte: Club-k.net

Tal como já havíamos noticiado, a Procuradoria Geral da República (PGR) num comunicado tornado público na quinta-feira, 07, garante que se encontram detidos na Direcção Provincial de Investigação Criminal (DPIC), alguns dos presumíveis agressores nomeadamente, Paulo Alves, Adilson, Daniel, Dom Ju, Kelly Stress entre outros. Faz parte do grupo dos detidos o proprietário do referido estabelicimento comercial.

No comunicado, a PGR refere ter tomado conhecimento da existência do vídeo (que em abono da verdade fora publicado em primeira-mão pelo Club K) no passado dia 05, "mostrando cenas macabras, retratando um caso de justiça privada" em Luanda.

As duas mulheres acusadas de terem roubado uma garrafa de champanhe e um sabonete, para posterior venda, surgem no filme a serem espancadas por vários homens, munidos com uma catana, bastões, “njindungo” e mangueiras, deixando as vítimas em estado de exaustão e desfalecimento.

Os agressores, cujas caras são facilmente identificáveis, riem-se e gritam enquanto alguns filmam com telemóveis ou câmaras portáteis o que se está a passar.

Na sequência de uma busca autorizada judicialmente, o Ministério Público apreendeu no da 07, no local, os instrumentos de tortura que surgem no vídeo. A PGR anuncia ainda ter interpelado algumas pessoas presentes no local onde ocorreram os espancamentos.

Outrossim, o Grupo de Mulheres Parlamentares (GMP) condenou, nesta sexta-feira, 08, em Luanda, os episódios de violência contra duas mulheres num vídeo divulgado recentemente em Luanda, afirmando que este acto viola a Lei contra a Violência Doméstica e todas outras formas que lesem a dignidade da pessoa humana.

Num documento assinado pela líder do GMP, Cândida Narciso, o grupo parlamentar indica que "as cenas de violência contra as duas mulheres indefesas num suposto estabelecimento comercial" são energicamente condenáveis.

Por outro lado, as parlamentares apelam à sociedade para que denuncie todos os outros actos de violência contra qualquer cidadão. As deputadas saudaram os cidadãos que denunciaram tal acto e exortaram os órgãos de justiça a agir em conformidade com a lei vigente no Estado angolano.

Notícia em desenvolvimento

 

Artigos relacionados:

DENÚNCIA: Justiça própria contra duas mulheres – Vídeo






Debate o tópico nas redes sociais:





Debate no Club-K:


NOTA: Os comentários postados neste portal são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Por favor, leia os Termos de Uso. O Club-K reserva-se ao direito de moderar os comentários suspeitos de conter palavras ofensivas e apagar os que não cumpram as regras.



Comentários Arquivados:



Actualizar comentários 

0 messias e luisa 28-07-2013 21:20 #106
acabei de ver o vidio depoister feito td isso como he q nos sentimos como humanos e angola?. com certesa eu nao sei responder como eu m sinto. neste momento! estes cara tenhem q ser expulso desti maravilhoso mundo e a unica forma he ser morto seus caes...
0 José Lopes 22-07-2013 10:07 #105
Que haja justiça, é trabalho do tribunal e da policia, é crime... Seja qual for o valor do dito champanhe ou perfume... Não justifica estes actos... Imagine se fosse um roubo de valor considerável ... Por favor, façam justiça, ouvi esta cena em Fevereiro, mas o video vi hoje, devido um comentário na Radio Luanda em o Paulo Miranda fez referencia do video e consultei... foi pior do que tinha antes imaginado.
0 sonia tivana 20-07-2013 17:47 #104
sem comentarios amigos somos todos familias amigos e comenteraneos isto nao se faz pra que k eziste reabertura de prosseços pra poder corregir quando n ta serto acredito que eles ja tinham sido roubados por ourts ms nao fiseram igual. aquele o beijo nojento e forçado foi horivel o que ela teve de acita lo pa n levr mais ,data de entrada n cadeia e sem data de saida angola deve ser um pais com justiça dar um exemplo .... que assim e' falado fora dos outros paises sou moçambicana e custou m tanto ver e ouvir elas em apuros e nao poderem se defender ...por favor reabrir o prosseço
0 kar lopes 16-07-2013 09:03 #103
so lagrimas a justiça tem q ser feita, nao era preçiso bater assim
+1 kar lopes 15-07-2013 21:55 #102
a 2 minuto a ver lagrima correm-me nos olhos, apena escutava as pessoas a falarem, vendo nao e façil, as pessoas esquçem q somos imperfeito, e errado roubar mais......
0 Domingos Abilio 06-04-2013 00:37 #101
Onde estao os donos do Pais que se intitulam os sabios.Se vosse o nosso mais velho,ja era.
0 S 27-03-2013 16:57 #100
Se todos fossm assim, nao havia tanta criminalidade, pena as senhoras que estavam a roubar serem vistas como vitimas e nao como as criminosas que são
0 VANILDA 19-03-2013 21:23 #99
NOSSA TO BESTA BEGE TENHO AMIGOS ANGOLAMOS E N ACREDITO NO Q TO VENDO!!! TO TAO BOBA Q EU TO CM RAIVA DE MTS.N VOA GENERALIZAR MAIS SERA Q É ASIM Q AS MULHERES SAO TRATADAS AI? AKI NO BRASIL TBM TEM VARIOS CANALIA ASIM MAIS ME SINTO MAL.MEU DEUS SEI Q EM TDS OS LUGARES TEM BICHOS CM ESTES BICHO N NE PQ ATE OS BICHOS SE SENTE MAL SENDO COMPARADOS A ESTES LIXOS.
0 dasana de DEUS 10-03-2013 08:24 #98
Prelex , estamos contra este acto, fica là saber que a vingança vir
à para toda sua familha . DIABO,FEIO, que Deus faca a sua justiça .
0 ab 03-03-2013 09:30 #97
o armazen ou supermecado deve ser fechado para nunca abrir mais e os criminosos devem ser condenado a pena maxima de 12 anos de prisao
leftCLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

O CLUB-K.net foi fundado aos 7 de Novembro de 2000, e é integrado por jovens angolanos (voluntários), com missão representativa em diversos países e reconhecido a nível internacional como uma organização não governamental.

NEWSLETTER

Assine a nossa Newsletter para receber novidades na sua caixa de e-mail. "Gosta" da nossa página no Facebook para receber novidades na parede do seu perfil no Facebook.

INSERE O SEU E-MAIL