PR cria correio eletrônico

Lisboa – O Presidente da República, José Eduardo dos Santos passou a dispor de um correio eletrônico que usa exclusivamente para se comunicar com um núcleo restrito da sua confiança com destaque para os familiares mais próximos. 

Fonte: Club-k.net

JES: Um estadista de acesso restrito

É através, desta via que agora lhe chegam algumas  informações sobre o que acontece nos escalões das mais variadas estruturas do Estado tal como atropelos de membros do seu executivo. No passado, algumas reclamações ou queixas não lhe chegavam por culpa de um bloqueio  por parte dos seus colaboradores.


Para além do seu email, o líder angolano ganhou o habito de acessar   alguns sites de noticias sobre Angola e acompanha os comentários que nele fazem. Certa vez, reagiu publicamente e solicitou provas a um comentário que insinuava que ele era detentor  de  uma conta bancaria no exterior,  com certa de  20 bilhões de dólares.


A iniciativa de   passar a usar o correio electronico privado   para se comunicar  especialmente com os familiares atenuam antigas  lamentações dos mesmos  que identificavam  o  general Manuel Vieira Dias “Kopelipa” como a entidade que estaria  a “privatizar” o acesso ao  PR.


Até  meados de  2010,  a restrição ao acesso a figura  do Presidente   estava  a estender-se para escalões que atingiam  o seu próprio circulo familiar mais directo. O  seu telemóvel  pessoal usado para falar com familiares da linha de Marta dos Santos, ficava nas mãos   do  general  Manuel Helder Vieira Dias “Kopelipa”.  Quando os familiares ligassem  para o PR, o general atendia  e mediante a disponibilidade do estadista re-encaminha a chamada.


Nos anos anteriores,  o acesso ao Chefe de Estado angolano teve duas  fases. Na primeira os familiares que desejassem algum apoio ou tratar questões com o mesmo, faziam por intermédio de  um sobrinho, Catarino  Escorcio dos Santos, que chegava a ser  uma espécie de  “Director do gabinete para os assuntos familiares”.


A segundo fase (de acesso ao PR) envolve, Fernando Garcia Miala, ex-DG do Serviço de Inteligência Externa (SIE). Era por via de Miala  a quem os familiares de JES se dirigiam quando necessitassem de apoio. Ajudou Isabel dos Santos a erguer o seu patrimônio econômico e prestou assistência crucial a irmã do PR, Marta dos Santos.


 Contactos a nível das instituições

JES, por exemplo,  não se comunica regularmente  com os chefes dos órgãos de Segurança de Estado que passaram a despachar com o  general “Kopelipa”. Aquela direcção (segurança de Estado) deixou de ter contacto físico ou directo com o Chefe de Estado como acontecia ao tempo do general Fernando Miala. “Kopelipa” é quem liga o telefone para transmitir  as instruções do PR.  Em meios competentes, entendem ser desaconselhável esta forma de contacto tendo em conta o antecedente de Agostinho Neto e do seu Ministro da Defesa “Iko” Carreira a quem a Inteligência Militar e a DISA  respondiam  directamente. 

Recentemente o general “Kopelipa” teria criado   barreiras  ao Tenente-general  Alfredo  Tyaunda, comandante da Unidade da Guarda Presidencial,  em ter acesso ao PR. O mesmo terá ocorrido com o  comandante da Unidade de Segurança Pessoal, general José  João “Maua”   (responsável  pela  segurança do palácio) que terá revertido o quadro por intervenção  da primeira dama, Ana Paula dos Santos.

A  restrição aos contactos do PR é também uma acção  reflectida no seu estilo de liderança. Há casos de  ministros que nunca se comunicaram directamente  com o mesmo (encontram-se apenas nas reuniões de conselho de Ministros).


Esta ausência de contacto, estende-se também para com os seus  adversários políticos. Já em Agosto de 1996, apartir do Andulo,  o falecido líder fundador da UNITA, Jonas Malheiro Savimbi, lamentou que JES  não lhe telefornava e que  tinha de ser ele a pegar no telefone para falar com  o Presidente da República.


“O que nós entendemos por Reconciliação Nacional não é apenas o encontro entre o Presidente da República e eu. Isso faz-se, já se fez e vai-se fazer. Mas já não resolve tudo. Eu pego num telefone, ligo, e ele nunca ligou. Não faz mal. Ligo sempre, isso não me humilha; eu ligo, mas não passa par ali, não basta. Para nós, da UNITA, Reconciliação Nacional, por causa do nosso passado pesado, mas completamente pesado, devia começar na família”, lamentou Savimbi, naquela altura.






Debate este tópico nas redes sociais:

Comente via Facebook, Hotmail, Yahoo ou AOL!




Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

 
 

Direcção consultiva
- Barbosa Francisco  (New York) - IT
- Massano Jorge ( New York) - Editor Principal
- Juca Manuel (New York) - Editor
- Noel Pedro (Lisboa) - Revisor
- Marcos Miguel (Brasil) - Editor
- Júlio Beto - (Holanda) - Editor
- Simão Manuel - (França - Editor
- Juca Fernandes - (Alemanha) - Editor


Telefone: New York: (315) 636 5328

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

// TAG FOR ADVERTISEMENT