Lisboa – Estão a ser assinaladas as primeiras clivagens, entre a forma de trabalho do Presidente José Eduardo dos Santos e a do seu “delfim”, Manuel Domingos Vicente. 

Fonte: Club-k.net

Ao Vice- Presidente Manuel Vicente atribuem-lhe “desencanto” por ter sido o último do circulo presidencial a tomar conhecimento de que JES afastaria, um  aliado seu,  Fernando Fonseca do cargo de Ministro da Construção que fora recentemente substituído por Waldemar Pires Alexandre, ex- Director Geral Adjunto do INEA.

Fernando Fonseca é um quadro oriundo da Sonangol que em finais de 2010 entrou para o executivo sob influencia de Manuel Vicente. Antes da sua nomeação desempenhava as funções de director-geral da Sonangol Integrated Logistic Services-SONILS.  Foi  poucas semanas atrás  afastado por JES no seguimento  de avaliações que lhe foram desfavoráveis com realce ao “não andamento de obras”.   Defensores de  JES alegam   que a não consulta previa a Manuel Vicente, deve-se ao facto de ter se ausentado do país rumo a Londres onde foi tratar do seu problema de tensão alta. 


Por outro lado, são atribuídos a JES sentimentos contrários a antecedentes  de  Manuel Vicente cujo conhecimento tomou agora.  Invoca-se que numa das ultimas audiências em que teria recebido o actual Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Francisco Lemos Maria, o chefe do Executivo teria questionado alguns pendentes financeiros  e como justificativa foi lhe transmitido que se deveu a “buracos” deixados por Manuel Vicente,  desde o  tempo que dirigia a petrolífera estatal.


O Presidente Eduardo dos Santos é notabilizado como tendo  a sua forma própria de trabalhar baseada em incertezas e secretismos.  Em Janeiro de 2012,  impôs, Manuel Vicente  junto do Bureau Político do MPLA como seu futuro  Vice- Presidente que substituiria  Piedade Dias dos Santos. Porém, junto de Manuel Vicente, o mesmo não lhe transmite com precisão se é ele o verdadeiro sucessor presidencial ou se é outro (fala-se também, em  José Filomenos dos Santos “Zenu”).


O sinal mais claro da indecisão de JES para com Manuel Vicente  foi notado no decorrer de uma audiência que concedeu ao antigo embaixador da Federação Russa em Angola, Serguey Nenáchev, a 28 de Novembro de 2012  em que se abordou sobre a sucessão presidencial tendo o Presidente angolano replicado que estavam a experimentar algumas pessoas.  Por sua vez, o Vice – Presidente Manuel Vicente quando é abordado sobre o mesmo assunto remete-se a transmitir que é decorrente as vontades do PR.


Vicente, era antes era uma figura poderosa e respeitada  em Angola, ao tempo que dirigia a Sonangol. Porém viu-se esvaziado quando JES transferiu poderes da Sonangol para o Fundo Soberano que tem o seu filho, Zenu dos Santos na sua administração.   Desde então, o Vice- Presidente, passou a ser visto como uma distração de JES para supostamente  dar tempo para que o filho amadureça politicamente e ao mesmo tempo para simular que tenciona deixar o poder (diferente aos outros lideres africanos apegos ao poder).



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: