Luanda - A Prisa vendeu as revistas Lux, Lux Woman e Revista dos vinhos à sociedade luso-angolana Masemba. A empresa de direito português, fundada a 8 de abril, tem como sócios a produtora portuguesa Até ao Fim do Mundo e a angolana Semba. Fundada em 2006 como uma agência de comunicação vocacionada para o rebranding, a Semba tem entre os sócios Sérgio Neto e José Eduardo Paulino dos Santos (filho do presidente angolano).


Fonte: Dinheirovivo

Renato Freitas, um dos sócios da produtora Até ao Fim do Mundo (juntamente com Ricardo Freitas, Agostinho Ribeiro e Paulo Camacho), é o gerente da Masemba.


A compra das revistas até aqui detidas pela Progresa, editora de revistas da Prisa, representa a mais recente colaboração entre a produtora portuguesa e a empresa angolana, agora em Portugal.


Em Angola, as duas empresas têm vindo a trabalhar em conjunto desde 2007 em projetos televisivos locais, nomeadamente a reformulação e rebranding da TPA2 e na TPA Internacional, canais públicos angolanos.


As intervenções surgiram após um convite endereçado pela Westside Investments. A consultora, da qual Tchizé dos Santos é uma das responsáveis, tinha sido convidada pelo Ministério da Comunicação Social de Angola para o desenvolvimento de projectos para a TPA.


O valor da venda das revistas não foi divulgado, mas em comunicado a Media Capital - grupo controlado pela Prisa - afiança que o acordo agora alcançado é um "importante passo" , para o "estabelecimento de parcerias fortes para o desenvolvimento de projetos que visem consolidar a sua estratégia de diversificação de atividades e alargamento das linhas de negócio".




DEBATE ESTE TOÓPICO NAS REDES SOCIAIS:





DEBATE ESTE TÓPICO NO ANÓNIMATO: