Grávidas proibidas pelos maridos de serem assistidas por enfermeiros em Angola

Luanda - Mulheres grávidas do município do Luchazes, província angolana do Moxico, são proibidas pelos maridos de serem assistidas por enfermeiros, situação que preocupa as autoridades sanitárias, porque os poucos técnicos de que o hospital dispõe são na maioria homens.

Fonte: Lusa

O drama foi denunciado pela diretora do Hospital Municipal dos Luchazes, Anabela Alves, citada hoje pela agência noticiosa angolana, Angop, que lamenta a situação e atribui o facto a questões culturais.


Segundo a responsável, os homens justificam que as suas mulheres não podem ser vistas nuas por outros homens, ainda que seja para consultas hospitalares.


Anabela Alves disse que a situação tem originado que as grávidas faltem às consultas pré-natais e façam os partos em casa.


"Não acorrem aos serviços sanitários, porque a maioria dos nossos técnicos de saúde reprodutiva são homens e a situação é preocupante, uma vez que pode precipitar mortes maternas durante os partos caseiros", referiu aquela responsável,


Face a esta situação, o trabalho das duas únicas enfermeiras que asseguram os serviços de maternidade tornou-se "um caos", segundo aquela responsável, salientando que o número é insuficiente para atender à demanda.


De acordo com Anabela Alves, os sobas (autoridades tradicionais) já foram contactados para ajudar a sensibilizar a população sobre a importância das consultas pré-natais e a realização de partos nos hospitais.


Luchazes é um município cerca de 347 quilómetros a sudoeste do Luena, capital da província do Moxico, no leste de Angola, e possui 14.451 habitantes, na sua maioria camponeses.

 







Debate este tópico nas redes sociais:

Comente com o seu perfil no Facebook







Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos