Cobertura eleitoral em Angola: Comunicação Social pública acusada de fazer campanha

Luanda - Partidos políticos na oposição e membros da sociedade civil acusam os órgãos de comunicação social públicos como estando a assumir o papel de principais actores do ambiente de pré campanha eleitoral que Angola está a viver.

*Arão Ndipa
Fonte: VOA

Para falar sobre o assunto, ouvimos o líder da bancada parlamentar da UNITA, Adalberto Costa Júnior, o secretário geral dos sindicato dos jornalistas angolanos, Teixeira Cândido, os jornalistas Carlos Gonçalves e Ismael Mateus.


O ambiente pré eleitoral em Angola está a ser marcado com sucessivas denúncias contra o comportamento parcial dos órgãos de comunicação social públicos, acusados principalmente pelos partidos políticos na oposição como tendo sido capturados pelo partido no poder.

 

O silêncio dos órgãos que regulam a isenção e a imparcialidade dos órgãos de comunicação social em Angola, tem preocupado sobretudo os actores políticos envolvidos no processo eleitoral.

 

O governo angolano, por sua vez, tem minimizado todas as denúncias que revelam este comportamento parcial dos órgãos de informação públicos não havendo, por isso, sinais para se alterar este quadro.

 

A UNITA, principal partido na oposição, ameaçou recorrer às instâncias internacionais, caso nada seja alterado. Posição idêntica também foi anunciada recentemente pela Convergência Ampla de Salvação de Angola, que ameaçou fazer recurso à manifestações para beneficiar de tratamento igual.

 

No princípio desta semana, o sindicato dos jornalistas angolanos condenou, em nota distribuída a comunicação social, a tentativa de expulsão dos jornalistas da Televisão Pública de Angola, no comício do último sábado, realizado pelo partido UNITA, no município de Viana, arredores de Luanda.

 

O documento do Sindicato dos Jornalistas Angolanos, assinado pelo seu secretário-geral, Teixeira Cândido, recorda à sociedade e aos principais actores políticos que “os jornalistas são apenas intermediários no processo de comunicação, e só nesta condição é que devem ser vistos”.

 

Adalberto Costa Júnior, em declarações a rádio Despertar, considerou de falsas as acusações que pesam sobre o seu partido, em relação ao comício do último Sábado.

 

 







Debate este tópico nas redes sociais:

Comente com o seu perfil no Facebook







Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos