Lisboa - Jean-Claude Bastos de Morais, o principal “testa de ferro” de José Filomeno do Santos “Zenú” orientou os seus advogados baseados em Londres, a  intimarem todos os  jornalistas angolanos que abordarem sobre  um escândalo de corrupção que resultou no descaminho de 56 milhões de dólares  relacionado ao   projecto de construção do  porto do Caio, em Cabinda, financiado pelo Fundo Soberano de Angola.

 
Fonte: Club-k.net
 
Jean-Claude  ameaça quem reportar escândalo de corrupção no porto do Caio
 
O referido descaminho de fundos, foi recentemente denunciado pelo portal Maka Angola, do jornalista angolano Rafael Marques de Morais. Tão logo apercebeu-se da denuncia,  o  testa de ferro de Zenú solicitou aos seus advogados na capital britânica para  intimidar  com um processo criminal  todos  os jornais ou publicações que retomassem  a referida reportagem.    
 
 
A construção do futuro   “Porto de Caio”, em Cabinda esta sendo construída por uma empresa “Caioporto S.A”  constituída  pelo “testa de ferro”  de “Zenú” dos Santos, um ano após ao lançamento oficial do projecto.
 
 
O Portal Maka Angola que levantou o assunto questiona  a transparência do processo e desafia alguém do Estado angolano a questionar ao filho do Chefe de Estado angolano,  o paradeiro do descaminhado  56 milhões de dólares.
 
 
“Com total impunidade e autoridade absoluta, para quê limitar-se ao saque autorizado pelo presidente? Os 15 por  cento necessários como complemento do crédito chinês são 124 milhões de dólares, mas o Fundo anuncia que vai investir 180 milhões de dólares. São 56 milhões de dólares a mais. Quem, no aparelho de Estado, tem coragem de perguntar a Zenú e ao seu amigo Jean-Claude Bastos de Morais para onde desviaram esse dinheiro?”, questionou. 
 
 
Para Rafael Marques a empresa de Jean-Claude Bastos de Morais   “Caioporto S.A. é uma concha vazia, criada apenas para sugar dinheiro ao Estado através de sucessivos decretos presidenciais, com vista ao enriquecimento ilícito do filho de JES, através de Jean-Claude Bastos de Morais. Ademais, caso algum dia a obra portuária venha a ser concluída, o filho também ficará com o monopólio exclusivo do Porto de Cabinda, o único de águas profundas em Angola, como parte do seu extenso património.”
 
 
“Ninguém acredita que o presidente esteja apenas a ser generoso para com o amigo do filho, concedendo-lhe tanto dinheiro e o Porto de Cabinda. Jean-Claude Bastos de Morais é o veículo através do qual o presidente enriquece copiosamente o seu filho Zenú.”, concluiu.
 
 
Tema relacionado
 



DEBATE ESTE TOÓPICO NAS REDES SOCIAIS:





DEBATE ESTE TÓPICO NO ANÓNIMATO: