Luanda - Senhor General Leopoldino do Fragoso do Nascimento (vulgo General Dino).

Fonte: Club-k.net


No dia 11 o mês em curso, o portal Club K, a voz dos sem voz, publicou uma Nota de protesto pelo uso da sua imagem em noticias negativas sobre Angola.

 

Quero acreditar, que a iniciativa da publicação da Nota tenha partido voluntariamente de alguém dos seus assessores, cuja a intenção seja não talvez para lhe ajudar, mas apenas para lhe agradar, porque, ao invés de ajudar, o prejudica pelos seguintes factos:

 

A imagem à que o senhor general se refere, de facto retrata os principais personagens da corrupção ao nível das elite governamental angolana, trata-se da imagem dos 4 ladrões + 2 (pai e filha) principais figuras que simbolizam a corrupção, lavagem de dinheiro, poder absoluto em tudo quanto é negócio em Angola. São rostos figuras bem conhecidas dentro e fora do país.


As noticias negativas sobre Angola que nos dias de hoje tem sido quase diárias, não são inventadas. Retratam a real situação que o país está a viver. São matérias já avançadas no passado em vários relatórios e informações jornalísticas. Porque só agora sente necessidade de defender a sua imagem, querendo fazer passar a ideia de ser diferente dos demais amigos seus dos negócios ilegais?


A afirmação de que o “... o Engenheiro Leopoldino do Nascimento tem um histórico de vida que se distingue pela ética, discrição, boa educação e respeito pelos mais altos princípios morais..., não corresponde a verdade. Não procede. Conversa para inglês ver. Limpar o porco no meio da chuva e fazé-lo passar por animal bonito e gostoso, é imoral. Sendo o senhor General homem honesto, de boa educação e respeito pelas mais altos princípios morais, pergunta-se como e porque vias e requisitos legais conseguiu construir o seu império? Em quanto tempo o general Dino criou os seus negócios? À quem ele representa? Teria um cidadão comum a mesma sorte que teve o general Dino aos créditos milionários para montar negócios nas áreas em que actua ou pelo menos a simples informação e facilitação? Quanto tempo trabalhou para juntar e justificar a riqueza que acumula actualmente?


O País está pobre de dinheiro. O argumento do Governo é que a causa é a baixa do preço do petróleo no mercado mundial. O Governo limitou o cidadão comum de entrar e sair de Angola mais de USD 10.000,00. Depois ficamos a saber que um grupo de bandidos na sua maioria da alta elite do Governo, depois de terem participação directa na falência do BES Angola, desfalcaram também o BNA, e fizeram transferências milionárias de divisas para o Dubai e outros paraísos fiscais do mundo. Como, e em que condições esses valores saíram do País? Quem autorizou a sua saída? Ao povo dizem uma coisa e por detrás os governantes fazem outra, e depois aparecem nos mídias e nas praças públicas com discursos arrogantes e afirmações de defesa sem fundamento tentando acusar os partidos da oposição e a imprensa portuguesa, não é correcto meus senhores. O País está sendo dirigido por ladrões, autênticos bandidos, reconheça isso General Dino. Falando do caso Dubai retratado pela reportagem da SIC portuguesa, porque razão o Governo ou o MPLA não abriu até ao momento a boca para defender oficialmente? Existe alguma autoridade em Angola capaz de abrir um inquérito e investigar essa e outras denúncias? Não. Todos calados como nada tivesse acontecido. Isto é bom?


Dessas pessoas envolvidas nos escândalos que todos os dias ouvimos,o senhor Dino faz parte. Como é possível defender-se agora, fazendo-se passar por santo se ele faz parte da elite corrupta do País? Tentar desmarcar-se da responsabilidade precisamente agora que as coisas estão sendo claras e o angolano está cada vez mais convencido sobre o tipo de dirigentes que tem, é ser desonesto demais.


Se o general está preocupado com a sua boa imagem, honra e bom nome da sua família, teria de avaliar, os danos por ele e seus amigos ao povo angolano, pelos negócios conjuntos ele general e sua turma vem fazendo e que desfalcaram os cofres do Estado. A família dele é uma única e não vive mal. O Povo inteiro de Cabinda ao Cunene está sofrendo de dia e noite por causa das praticas abusivas do grupo de que ele faz parte.


Por outro lado, trabalhar com o Presidente da República José Eduardo dos Santos não é crime, sim um privilégio. Se afirmar trabalhado com ele durante muito tempo, sabe, que o senhor Presidente da República já não é mesma pessoa dos anos 70, 80 e 90. Ele foi ideologicamente sequestrado por um grupo de generais e outros, que, de maneira radical mudaram o seu estilo de vida e de pensamento. Por força da ambição e egoísmo comercial e da pressão contra ele exercida pelos generais da elite de maior confiança do PR e que o senhor Dino faz parte, o PR José Eduardo dos Santos, não teve outra alternativa se não abrir mão e dividir a riqueza entre os generais que hoje são os empresários dos principais segmentos da economia angolana. O PR provém de uma família humilde se não mesmo pobre. Ele próprio nunca foi de ambição de acumulação de riquezas, até porque, a sua educação politico patriótica resultante do sistema comunista, não o permitia fazer o que hoje assistimos. Há longos anos que o Senhor Presidente da República José Eduardo dos Santos se encontra ideologicamente sitiado por bandidos, pessoas imorais que o envolveram em actividades ilícitas. O senhor que hoje se defende é uma dessas pessoas. E, são estas pessoas que ficaram longos e longos anos insistindo e impedindo que o PR se retirasse da presidência, precisamente, porque, é ele que dá proteção aos grupos criminosos da elite politica angolana. Ninguém imaginaria o PR no período do Partido único envolvendo-se em negócios ou pelo menos citado em denúncias. Sim, que os tempos mudaram o Presidente na negativa. Empobreceram o angolano, e não por causa do preço do barril do petróleo. Vocés delapidaram os cofres do Estado. Nada haver. Essa não é mais a nossa Angola. A Angola pela qual nossos pais e avós lutaram para se livrarem do jugo colonial português.

Crime de lesa pátria pode ser sim o seu envolvimento nos escândalos de corrupção e lavagem de dinheiro.Crime de lesa pátria é a forma como o seu grupo criou mecanismos que permitiram a invasão silenciosa do país por estrangeiros que trabalham para os diversos grupos econômicos à que faz parte. O país está inundado de estrangeiros e ninguém mais tem controlo. O Serviço de Migração e Estrangeiros há muito que se tornou uma autentica lavandaria de dinheiro na concessão de vistos de entrada em Angola. Na sua maioria, portugueses, chineses, brasileiros, libanês, até malianos e de ouras nacionalidades,fazem de Angola o país de enriquecimento fácil. Hoje já não existe rigor na concessão de vistos de trabalho e de residência aos expatriados que trabalham nas grandes empresas dos grupos da elite criminosa. Eles mandam nos angolanos porque ao tratarem os seus assuntos se apresentam em vosso nome, general A, B e C, nessa condição quem os vai recusar de conceder os vistos? Quantos cidadãos estrangeiros convidados pelas empresas do General Dino e dos demais grupos da elite trabalham em Angola e quais os seus salários e regalias?


General, um dia a história desse país vos dará resposta por essas tamanhas atrocidades. Roubaram o dinheiro do pais e foram esconder nos bancos estrangeiros e ao povo dizem que o motivo da falta de divisas é a baixa do petróleo no mercado mundial.


O País entrou numa fase de imoralidade profunda e que o senhor General Dino citado em várias denúncias e relatórios, é sem sombras de duvidas parte integrante da quadrilha que tem quota parte dos problemas econômicos e sociais de Angola.


Situação sanitária do país deficiente: hospitais sem medicamentos, pessoas, particularmente crianças morrendo nos hospitais em moscas, trabalhadores da função pública, incluindo as forças militares e de segurança sem os salários actualizados, o povo sofrendo tanto, mas vocês fazendo aventuras lá fora com o dinheiro de todos nós. Tudo isto só é possível porque estamos num pais onde as leis existem para não serem cumpridas e se sim, quando o senhor general Dino os seus amigos bem entenderem.


Um país onde o Procurador Geral da República que por lei tem a competência de fiscalizador, zelador da legalidade é um dos mais corruptos do País. que moral tem ele para levar acabo alguma investigação? Não se investiga nem no caso BES Angola, nem no caso Fundo Soberano, Sonangol e nem em outros casos onde estão envolvidos altas figuras de Angola, acha o General isso bom? Com um dos assessores principais do Presidente da República e uma vez que se apresenta como uma pessoa de moral e cumpridor das leis, o que fez ou faz para mudar esse quadro à favor dos angolanos e não à favor de 5, 6 ou meia dúzias de pessoas da elite?


Portanto, a imagem dos 4 protagonistas que geralmente aparece nas capas de jornais, portais da internet..., onde o senhor Dino consta, é sim merecedora.O assessor do general que tomou a iniciativa de elaborar e publicar a Nota de defesa da sua imagem, não o devia ter feito porque, não é dessa forma que se limpa a imagem de alguém nas condições actuais de imoralidade em que o general se encontra.
Muito obrigado.


Carlos Manuel




DEBATE ESTE TÓPICO NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE ESTE TÓPICO NO ANÓNIMATO: