Luanda  - Desde os tempos que já lá se vão, o jornal é um dos principais meios, senão o principal, aonde as empresas anunciam as suas necessidades relativamente à contratação de pessoas. Outra prática muito vista é a colocação dos anúncios pelas paredes junto das empresas e/ou nos arredores das mesmas, bem como nos corredores das universidades (os chamados murais). Vemos ainda nas rádios espaços dedicados para este efeito.
 
Fonte: Club-k.net
 
Apesar de serem ainda, com bastante frequência, usados estes meios tradicionais, pelo seu efeito directo no alcance do target (1), notamos que nos dias de hoje existem outras ferramentas (digitais) bem mais rápidas. Refiro-me aos websites ou portais dedicados. Estes são também utilizados pelas companhias na comunicação das suas necessidades de recrutamento de pessoal e por sua vez (aonde) os internautas interessados têm acesso às comunicações, com a possibilidade de se registarem e receberem feedback de acordo com as vagas de interesse destes aquando do registo.
 
 
Notamos igualmente que as organizações transferem esta tarefa para agências especializadas nesta matéria. E como isso se processa? Bom, as empresas interessadas em recrutar fornecem o(s) perfil(s) do(s) candidato(s) que pretendem, e as agências por sua vez recorrem às redes sociais na busca dos potenciais candidatos de acordo com o(s) perfil(s) recomendado(s).
 
 
Este recurso às redes sociais não é de modo geral em todas elas. Ou seja, existe uma que foi desenhada para este propósito. Consegue adivinhar de que rede se trata?
 
 
Lançada em 2003 e com mais de 400 milhões de utilizadores, em todo mundo, o LinkedIn é uma rede social voltada para networking (2) de profissionais e negócios. Nela os seus utilizadores criam os seus perfis com informações profissionais, académicas e de negócios (uma espécie de CV ou portfólio) permitindo a interacção entre os vários perfis, sendo estes particulares ou empresas por intermédio de ferramentas associadas à esta mesma rede.
 
 
Hoje o LinkedIn é uma rede brutal transformada num dos principais centros do mundo de desenvolvimento de negócios aonde se desenvolve contactos, recruta-se pessoas, divulga-se oportunidades de negócios e vagas, dentre outras vantagens.
 
 
Em Angola muitas companhias já utilizam o LinkedIn para empregar. Com maior preponderância nos sectores dos petróleos e gás – apesar do abrandamento – banca, seguros, tecnologias de informação e comunicação e o sector de serviços.
 
 
(1) Expressão usada para designar o público-alvo de um produto ou serviço. 
(2) Rede de relacionamentos ou rede de contactos.
 
Por: Valdemar Vieira Dias

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: