Deputada da UNITA diz que lavagem de dinheiro faliu o maior banco público angolano

Luanda - Em fase de discussão do plano de recapitalização do Banco de Poupança e Crédito (BPC), já aprovado pelo Governo, a vice-presidente da bancada parlamentar da UNITA considera que os “roubos e a lavagem de dinheiro’’ determinaram a falência do maior banco angolano.

*João Marcos
Fonte: VOA

Navita Ngola afasta a tese do crédito malparado, ainda que se fale em prejuízos superiores a mil milhões de dólares, e alerta para a falta de liquidez até para o pagamento de salários a funcionários públicos.

 

Há dois anos, com a crise a provocar estragos na economia angolana, o banqueiro Fernando Teles, conhecedor do sistema financeiro, já emitia sinais de preocupação.

 

“Não vale a pena estarmos a apoiar gente que tem as mãos estendidas e que não aplica o dinheiro em projectos produtivos’’, advertia o Presidente do Conselho Segurança do Banco Internacional de Crédito (BIC).

 

Agora que o Banco de Poupança e Crédito (BPC) está na ordem do dia, a deputada Navita Ngolo, da Comissão de Economia e Finanças da Assembleia Nacional, refere que os empréstimos não tinham como destinatário o verdadeiro produtor.

 

O país, diz a deputada, ignorou regras internacionais de gestão financeira.

 

“Os dinheiros do BPC e de outros bancos têm saído por telefonemas, a partir da Cidade Alta, e por intermédio de bilhetes. As pessoas vão com bilhetes aos bancos, sendo que aqueles que não produzem, figuras ligadas ao Presidente, conseguem avultadas somas. Usam o dinheiro para passear, põem-se em escândalos financeiros e até em tráfico de mulheres’’, acusa a parlamentar.

 

Navita Ngola, que não acredita na responsabilização dos culpados, faz recurso à falência do Banco Espírito Santo (BESA) para dizer que não se olhou a requisitos como o retorno e as garantias bancárias.

 

“Áreas estruturantes, como a agricultura, indústria e transportes, ficaram sem dinheiro, já que foi distribuído entre mwatas do MPLA, inclusive, como se diz, o candidato a Presidente da República. Eu queria saber se eles já devolveram o dinheiro. Portanto, o BESA e outros bancos funcionaram como um antro para a lavagem de dinheiro’’, vinca Ngola.

 

No discurso alusivo ao Dia da Paz e Reconciliação Nacional, o governador de Benguela, Isaac dos Anjos, membro do Bureau Político do MPLA, afirmou que os responsáveis por estas situações merecem o benefício da dúvida.

 

A recapitalização e reestruturação do BPC é da responsabilidade do Ministério das Finanças, um dos accionistas, em nome do Estado.

 

Completam a estrutura acionista, o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) e a Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas.

 

A VOA não conseguiu obter reacções à suposta ligação de figuras do regime angolano ao crédito malparado.

 

Vale lembrar que as autoridades nunca se opuseram a notícias nesse sentido.

 

Há duas semanas, soube-se que Job Capapinha, deputado do MPLA, e Noberto Fernandes dos Santos, governador de Malange, têm dívidas no Banco Internacional de Crédito e podem, em menos de 40 dias, ver penhorados os seus bens, jáhipotecados, de acordo com o anúncio do Tribunal Provincial de Luanda publicado no Jornal de Angola.

 







Debate este tópico nas redes sociais:

Comente com o seu perfil no Facebook







Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos