Kwanza Norte – O primeiro secretário do MPLA e governador provincial do Kwanza Norte, José Maria Ferraz dos Santos, é acusado de ter humilhado  e destratado  moralmente, na pretérita semana em Ndalatando, o secretário-geral provincial do Sindicato Nacional de Professores do Kwanza Norte, Domingos Francisco João “Perdido”.


Zé Maria acusou o SINPROF de instabilidade o país e perigar a paz


Fonte: Club-K. net 
 Soube-se  de uma fonte do MPLA, destacada em Ndalatando, que não gostou à forma como Zé Maria maltratou aquele sindicalista do SINPROF.


 
Segundo a fonte, José Ferraz ralhou de forma grosseira o referido sindicalista durante uma reunião que tinha como propósito instar a classe docente afecta ao partido MPLA para aderirem em massa no dia 23 de Agosto as urnas e votar no nº 4 do boletim de voto.

 

Infelizmente, o presidente do presidium deixou-se levar pela arrogância e prepotência do abuso de poder, aproveitando-se do momento, para atirar-se contra o sindicalista que esteve no local nas vestes de militante daquele partido.

 
De acordo com a fonte que vimos citar, o também governador do Kwanza Norte acusou o SINPROF de não ser um sindicato a favor da estabilidade e da paz, assim como existem partidos políticos no país que não são a favor da paz. 

 

No entanto, o dirigente do MPLA orientou os militantes do seu partido e os dirigentes escolares a não permitirem manifestações do SINPROF, caso acontecer os mesmos também serão sancionados, reforçando que o SINPROF de pautar pela desordem, anarquia e contra estabilidade do país.

 

Razão pela qual, orientou a todos presente a combater o SINPROF a todo custo. “Não devemos dar um palmo de terra a esse SINPROF”, recomendou, acrescentando “por isso eu sempre disse que o Secretário provincial do SINPROF não é da JMPLA, ele é da UNITA a partir de lá do Bolongongo”.

 

Na ocasião, o mesmo ordenou o director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, David Bindanda Ferreira, a não receber em nenhum momento as pessoas conotadas como sendo do SINPROF. Por seu turno, Bindanda Ferreira, disse que os homens do SINPROF não devem ser chamados de parceiros, mas sim, merecem outro nome pejorativo.

 
Entretanto, ao terminar  o governador José Maria, voltou a intimidar o senhor  Domingos João, dizendo-lhe que “grave tudo e não escreva simplesmente, porque se informares mal, eu vou buscar-te”.

 

Entretanto, não é a primeira vez que aquele sindicalista do SINPROF Kwanza Norte é intimidado de forma grosseira. Em Maio de 2014, o mesmo também já tinha sido humilhado pelo então governador Henrique André Júnior, em função da manifestação pacífica e consequentemente a greve que os homens do giz daquelas paragens tinham desencadeado na véspera do Senso Geral da População e da Habitação.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: