Luanda - O aumento da tensão entre membros da UNITA e do MPLA regista mais um capítulo, agora em Caungula, na província da Lunda Norte.

Fonte: VOA

Invasão de reunião da UNITA deixou quatro feridos em Caungula

Os incidentes terão começado na quarta-feira, 12, mas só hoje foram revelados a VOA pelo responsável pela UNITA Joaquim Nafoia, que anunciou uma acção judicial contra João Arienga, administrador do município de Caungula, e seus colaboradores por aquilo que chamou “de ataque criminoso dos elementos da JMPLA”.


Não há ainda reacção do MPLA.


Joaquim Nafoia revelou que a “perseguição e os insultos aos membros do seu partido em actividade de campo em Caungula começaram na quarta-feira passada”, mas foi ontem, 16, a partir das 18 horas que estas ameaças se concretizaram.


"Quando eram 18 horas eles invadiram a residência onde nos encontrávamos com pedras, paus e outros objectos contundentes que provocaram ferimentos de quatro companheiros nossos, um deles em estado grave porque a pedra atingiu o sobreolho”, denunciou Nafoia, para quem “foi um acto criminoso organizado e comandado pelo administrador municipal de Caungula".


Aquele responsável da UNITA anunciou que “a qualquer momento vamos abrir um processo crime contra o administrador de Kaungula e o seu grupo não só por ter organizado mas se envolvido pessoalmente na agressão e todos estão bem identificados”.


Apesar dos esforços, a VOA não conseguiu obter a reacção do administrador de Caungula que é também o primeiro secretário do MPLA naquele município, nem de responsáveis da província da Lunda Norte.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: