Lisboa –  O PCA das Edições Novembro e Director Geral do Jornal de Angola, Antônio José  Ribeiro  tomou medidas que estão a ser interpretadas por quadros da direção do MPLA, em Luanda,  como actos destinados a limitar a cobertura da campanha eleitoral as eleições de 23 de Agosto, na província de Benguela,  na qual se destaca o seu  candidato João Gonçalves Lourenço. 
 
Fonte: Club-k.net
 
Cortou o fundo de maneio da  direção provincial de Benguela 
 
De acordo com informações que o MPLA  teve acesso,  o diretor Jose Ribeiro inviabilizou o funcionamento da delegação do Jornal de Angola na província de Benguela, cortando os fundos de maneio deixando aquela direção provincial  sem os serviços de internet, combustível para a manutenção e operação das viaturas e gerador para energia. Nesta condição a delegação do Jornal de Angola ficou limitada para desenvolver os seus trabalhos de cobertura as próximas eleições em Angola.
 
 
A medida de José  Ribeiro, foi antecedida com o despedimento, em Março passado, dos trabalhadores desta direção provincial. As instalações do Jornal de Angola na província ficaram em estado de abandono e devido a ausência de serviços de higiene originou um ambiente desapropriado ou prejudicial para saúde humana. 
 
 
No passado dia 11 de Julho, uma equipa do departamento provincial da inspeção e fiscalização, deslocou-se ao local e propôs a imediata suspensão das atividades desenvolvidas nas referidas instalações, ate que a situação se resolva.
 
 
“Como resultado final das constatações enumeradas concluiu-se que as recomendações devem ser cumpridas dentro das normas, o não comprimento  implicara tomada de medidas de acordo com os diplomatas legais em vigor no pais ”, le-se no documento assinado pelo chefe do departamento da inspeção, Carlos Aurélio. 
 
 
O Director Geral do Jornal de Angola, José  Ribeiro   assume-se como seguidor do Presidente  José Eduardo  dos Santos e desde que este anunciou a retirada da vida politica, o mesmo juntou-se a quadros da linha do general Antônio  José Maria que desapadrinham a candidatura de João  Lourenço a Presidência da República.    Enquanto José  Ribeiro    cria dificuldades do funcionamento da delegação do Jornal de Angola em Benguela para limitar os trabalhos da cobertura eleitoral,  o seu alinhado   general José Maria  divulga textos no Jornal de Angola na coluna “reportagem” que visam fazer campanha da imagem  de JES como protagonista militar do conflito armado contra a UNITA e os seus ex- aliados sul africanos.  Apesar dos textos virem  da Inteligência Militar,  o DG do Jornal de Angola aceitou que eles fossem publicados com o seu nome como se ele fosse o autor. 
 


DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: