Contagem paralela trará "mais transparência" às eleições em Angola

Luanda - Agostinho Sikato, diretor do Centro de Debates e Estudos Académicos de Angola, considera que a contagem paralela dos votos seria uma forma de garantir a transparência nas eleições gerais angolanas de 23 de agosto.

Fonte: DW

"Eu acho que os partidos políticos têm uma oportunidade de ouro, que é fazer a contagem paralela", diz Sikato em entrevista à DW África, recomendando ainda à oposição uma "solidariedade de cobertura".


"Isso significaria que, nos lugares onde um determinado partido não estivesse presente, o seu delegado poderia ser representado por um outro partido. Estou exatamente a falar dos partidos da oposição", explica. O objetivo seria "garantir a lisura e transparência do processo e o melhor controlo."


Comissão Eleitoral

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) de Angola assegura a transparência e fiabilidade do processo eleitoral. Segundo a Comissão, depois de os votos serem contados nas assembleias de voto, as urnas serão transportadas para as comissões municipais eleitorais em sacos invioláveis e os resultados serão enviados por fax para as comissões provinciais e para a CNE.

 

Ainda assim, o politólogo Agostinho Sikato defende que, para melhorar a fiscalização do processo eleitoral, é preciso um maior envolvimento da sociedade civil no controlo dos votos à boca das urnas. As ONG, por exemplo, teriam um papel importante a desempenhar.

 

"O que mais me preocupa neste momento é a ausência das ONG. Parece-me que foram colocadas numa plataforma […] Nas eleições anteriores, tinham mais força. A mesma luta que os partidos políticos estão a fazer agora devia ser feita pelas ONG", diz.


Ativistas prometem fiscalizar

O autodenominado "Movimento Revolucionário" promete ficar em várias assembleias, a 23 de agosto, para controlar os votos. Segundo o ativista Nito Alves, já foram mobilizados muitos cidadãos para fiscalizar o escrutínio.


"Estamos a usar dísticos, panfletos, t-shirts, comentários no Facebook, textos na internet e artigos e comunicados de imprensa. Também estamos a fazer mobilização porta-a-porta em cada residência do cidadão. O grupo está qualificado e conta com a Fundação 27 de Maio."


O "Movimento Revolucionário" espera fazer a fiscalização nas províncias de Luanda, Huambo, Cabinda, Benguela, Uíge e Lunda Norte.


No passado, os resultados eleitorais foram questionados várias vezes pela oposição angolana e pela comunidade internacional. O polítologo Agostinho Sikato espera que o escrutínio de 23 de agosto seja livre e justo. Espera ainda que os perdedores reconheçam os resultados das eleições.


"Eu gostaria de ver abraços nestas eleições. Depois de se anunciar os resultados, eu gostaria de ouvir candidatos dizer que telefonaram ao colega que ganhou as eleições", concluiu Sikato.

 







Debate este tópico nas redes sociais:

Comente com o seu perfil no Facebook







Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos