Luanda – Face a denúncia da Associação Angolana dos Direitos do Consumidor (AADIC) relativamente à perigosidade do consumo dos fármacos anti-inflamatórios Ibuprofeno e Diclofenac as pessoas propensas à problemas cardíacos, a Direcção de Nacional de Medicamentos e Equipamentos do ministério da Saúde, recomendou aos técnicos de saúde o seguinte:

Fonte: Club-k.net

Circular nº 12 /GD-DNME/MINSA/2017

(Sobre o uso de anti-inflamatórios não esteroides)

Considerando que nos últimos tempos se tem difundido pela imprensa escrita, falada e redes sócias, informações relativas aos uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), tais como o Ibuprofeno e o Diclofenac e a elevação do risco de problemas cardíacos;

Considerando os últimos desenvolvimentos científicos sobre a utilização e os possíveis efeitos colaterais destes medicamentos e após analise das informações disponíveis pelo Departamentos de Farmacovigilância e Remédios Tradicionais desta Direcção;

Tendo em conta que este grupo de medicamento continua a ser importante para o tratamento de pacientes com sintomatologia dolorosa e doença inflamatória aguda ou crónica; 

Havendo a necessidade de alertar os profissionais da saúde sobre os resultados das pesquisas sobre o uso dos AINEs;

Em aditamento à circular n.º 11/GD-DNME/MINSA/2017 de 31 de Maio o Ministério da Saúde de Angola através da Direcção Nacional de Medicamentos Equipamentos esclarece o seguinte:

  1. Estudos científicos recentes relevam o aumento do risco de paragem cardíaca com o uso de ibuprofeno de 30% e em 50% com uso do diclofenac.
  1. Os pacientes com necessidade do uso prolongados dos AINEs, tais como nos casos de artrite, devem ser monitorizados ou considerar alternativas terapêuticas.
  1. A administração de AINEs em pacientes com doenças cardíaca é contra-indicada, devendo estudar-se alternativas terapêuticas.
  1. Os pacientes em tratamentos com AINEs que apresentem sintomas de dor pré-cordial devem ser informados para contactarem o médico assistente ou os serviços de saúde mais próximos.
  1. O Departamento de Farmacovigilância e Remédios Tradicionais é membro da Upsala Monitoring Center da Organização Mundial da Saúde desde 2013 e tem monitorizado as reacções adversas aos medicamentos a nível nacional.
  1. Os responsáveis dos serviços de farmácias junto às unidades sanitárias, têm instruções e meios apropriados para a notificação das reações adversas.
  1. Em caso de dúvida sobre o uso e eventuais reacções aos medicamentos, deve-se informar ao Departamento de Farmacovigilância e Remédios Tradicionais da Direcção Nacional de Medicamentos e Equipamentos, através dos seguintes contactos:
  • Telemóveis: 936 450 360/ 996 333 661
  • famacovigilâEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

De acordo com os conhecimentos científicos existentes e com base na avaliação risco-benefício, não há razões suficientes para se retirar de circulação o ibuprofeno e diclofenac.

DIRECÇÃO DE NACIONAL DE MEDICAMENTOS E EQUIPAMENTOS, EM LUANDA, AOS 17 DE JULHO 2017.

A DIRECTORA NACIONAL

KATIZA MHULA MANGEUIRA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: