Lisboa – O actual  Ministro do Interior e Comissário Prisional Principal Ângelo de Barros Veiga Tavares  foi recentemente promovido para o Posto Policial de Comissário-Chefe, e autorizado a retornar a carreira Específica da Polícia Nacional. A  promoção  e a respetiva autorização consta de duas ordens  assinadas  por  José Eduardo dos Santos na qualidade de Comandante-Em-Chefe das Forças Armadas Angolanas.
 
Fonte: Club-k.net
 
As ordens de promoção assinadas pelo   comandante em chefe das FAA  dá razão a recentes denuncias do Club-K que davam conta do “mau exemplo” de Ângelo de Barros Veiga Tavares  que na qualidade de oficial superior no activo violava a constituição ao exercer ativa no MPLA.  
 
 
Viegas Tavares que ingressou no aparelho de segurança/militar desde 1978 e mais tarde integrado nas extintas FAPLA, tem  participado em reuniões constantes no Comitê Provincial do MPLA em Luanda de que é membro. A sua militância  constitui violação do artigo 207 da constituição angolana que proíbe os militares/policia  no activo de participarem em actividades políticas e de usarem símbolos partidários.
 
 
Com a eleição  de um novo Presidente, neste caso o general João Lourenço, vários interlocutoras  asseguram que o mesmo venham a demarcar-se de  figuras da linha de Ângelo da Viegas Tavares que representam “maus exemplos”  para o Estado de direito que se quer. 
 
 
Há poucas semanas, o comissário chefe Ângelo Tavares foi protagonista de um outro acto de “mau exemplo” ao intrometer-se  no processo eleitoral o  intimidar  o mandatário do partido UNITA, José Pedro Kachiungo quando este dirigente exigia da CNE o cumprimento da lei. Para Ângelo Tavares, as exigências do deputado da UNITA são susceptíveis de incendiar o país. 
 
Tema relacioando 
 
  



DEBATE ESTE TÓPICO NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE ESTE TÓPICO NO ANÓNIMATO: