Lisboa -  A estratégia de Isabel dos Santos de  inundar a Sonangol com consultores  estrangeiros está,  a expor a falta de atenção da PCA, a de delegação de competência que ela tem retirado aos angolanos. Um levantamento efectuado pelo Club-K,  dá conta que o comunicado do dia  6 de Outubro passado emitido pela Sonangol foi escrito/redigido  por um  estrangeiro que está  desactualizado com os dados do país.
 
*Paulo Alves
Fonte: Club-k.net
 
Consultores  expõem  falta de atenção de Isabel dos Santos  
 
Como primeira “gaffe”, o comunicado apresenta no seu segundo parágrafo, o novo   Presidente João Gonçalves Lourenço como “Presidente do executivo”, uma designação inexistente na terminologia constitucional angolana. A designação  correcta seria   “Chefe do Executivo”.
 
 
No penúltimo parágrafo o comunicado descreve o seguinte:  “A criação de uma equipa conjunta liderada pelo Ministério dos Petróleos e que inclui o Ministério das Finanças e a Sonangol, mostram o alinhamento dos principais decisões, na análise do quadro mais competitivo para este sector em Angola”.
 
 
Conforme, conhecimento público, Angola deixou de ter a designação de “Ministério  dos Petróleos”. Depois da nomeação do novo executivo, a 28 de Setembro, este órgão governamental  passou a se chamar   “Ministro dos recursos Minerais e Petróleos ”. 
 
 
Não obstante,  o facto de o comunicado revelar ter sido redigido por um não angolano, mostra por outro lado que Isabel dos Santos  não lê,  nem presta atenção aos comunicados que os seus consultores estrangeiros  emitem em nome da petrolífera estatal dando razão a publicações segundo as quais “A sonangol foi sequestrada”.
 
Tema relacionado 
 
 
 


DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: