Luanda - O Secretariado Nacional do Bloco Democrático, BD, em nome dos membros simpatizantes e amigos do BD saúda e rende uma profunda homenagem a todos aqueles que contribuíram directa ou indirectamente na edificação desse marco da nossa História.

Fonte: BD

Para a Nação, a Independência significava a Paz, a Liberdade, o Progresso, o Bem-Estar, a Justiça Social, a Unidade de toda a Nação em toda a sua plenitude. Porém, a guerra fratricida, conjugada com um regime monopartidário conduziu a instauração de um regime ditatorial, contrário à Liberdade, à Modernidade e à Cidadania, cujas raízes não se encontram extirpadas até hoje.


Decorridos 42 anos de Independência, dolorosa é a constatação de que, à excepção da conquista da Paz e de liberdades formais, quase todas as aspirações profundas do Povo Angolano continuam por se realizar, em consequência de um Executivo mais preocupado em tornar o País na sua propriedade exclusiva e de sua clientela do que construir um país acolhedor, integrador, abrangente, enfim, um País de paz e de harmonia social, onde todos dão um pouco de si e colhem a parcela correspondente dos seus frutos.


O Secretariado do BD deplora que a “Independência” não tenha ainda chegado, em termos reais, à grande maioria dos lares. Trabalhadores pobres devido aos baixos salários, homens activos desempregados, jovens sem liberdade e impedidos de progredir, indigentes e miseráveis, são taras produzidas todos os dias por aqueles que transformaram a Independência num negócio privado.


O Secretariado Nacional do BD exorta, pois, o povo Angolano a transformar este aniversário numa jornada de intensa reflexão sobre os grandes problemas nacionais, ausência das liberdades, direitos e garantias, a ausência de desenvolvimento económico-social, a corrupção, o medo, a ausência de solidariedade nacional, visando a imperatividade da mudança para proveito da maioria do povo Angolano.


O Secretariado Nacional do BD realça a imperatividade - contra o que vem ocorrendo ao longo desses 42 anos - das datas nacionais serem pontos fundamentais de coesão social dos angolanos e não momentos de instrumentalização, visando transformar essas datas nacionais em momentos de exultação partidária do partido no poder. A forma e conteúdo das manifestações oficiais marcarão se na realidade há um novo ciclo político em Angola no sentido da harmonia e do entendimento do que é realmente nacional.

O Secretariado Nacional do BD reafirma o empenho e a disposição do BD prosseguir e redobrar os esforços a fim de contribuir para que Angola se transforme numa pátria de homens livres e felizes, o que apenas se conseguirá se todos os actores políticos e sociais se empenharem de igual modo.

SECRETARIADO NACIONAL DO BLOCO DEMOCRÁTICO-BD, Luanda, 09 de Novembro de 2017.

Pelo Secretariado Nacional

JOÃO ALFREDO BARUBA
SECRETÁRIO GERAL



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: