Luanda  - Depois de 14 anos de luta armada, a 11 de Novembro de 1975, Angola ascendeu à sua independência a partir da antiga potência colonial portuguesa. Foi uma altura marcada por uma guerra fratricida entre os 3 movimentos de libertação nacional de então, FNLA, MPLA e UNITA.
 
Fonte: UNITA
 
A esse momento difícil vivido pelos angolanos, seguiu-se uma violenta guerra civil que envolveu as duas superpotências – União Soviética e Estados Unidos da América –, bem como outros países do mundo.
 
 
No 42o aniversário da independência nacional, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA)
 
 
1. Reconhece o esforço de todos os angolanos e o sacrifício que consentiram, nas mais variadas formas de luta anticolonial
 
 
2. Agradece todos os países do mundo que se empenharam, verdadeiramente para que Angola pudesse firmar-se no contexto das nações livres e independentes
 
3. Apela a todos os angolanos para saberem manter a independência nacional
 
 
4. Rende homenagem a todos aqueles que perderam a sua vida pelo país.
 
Ontem como hoje, a UNITA vai continuar a defender os princípios que motivaram a sua criação: a independência nacional, a união de todos os angolanos, o desenvolvimento económico, a democracia pluripartidária e a justiça social. Ontem como hoje, a UNITA vai continuar a defender a dignidade dos angolanos e trabalhar para a consolidação e aprofundamento do Estado Democrático de Direito.
 
Luanda, 11 de Novembro de 2017
O Secretariado Executivo do Comité Permanente da Comissão Política
 


DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: