Luanda - Tudo na mesma na capital britânica onde circulam notícias de acordo com as quais não foi bem-sucedida uma tentativa de Isabel dos Santos colocar uma parente sua, Maria Jacinto de Sousa Rodrigues, a dirigir a delegação local da Sonangol. Razões? A direcção da Sonangol Limited não a reconhece como nova PCA devido à ilegitimidade da sua nomeação. A suposta nova PCA não apresentou um despacho formal e, para piorar, não está em posse de um visto de trabalh o do Reino Unido. Sandra Júlio continua como PCA e só pode deixar o cargo se apresentar uma carta de resignação. “Não podemos ter duas PCAs”, argumentou a direcção.

Fonte: Correio Angolense

Convencida de que tudo continua como antes, ou seja, que ela continua a ser a filhinha de papai que faz tudo quanto lhe dá na boia, incluindo espezinhar a lei, Isabel dos Santos começa, finalmente, a despertar para a nova realidade.


Em finais de Agosto, ela, que teima em permanecer à testa da Sonangol ao arrepio da lei, “nomeou” para presidir a delegação de Londres da Sonangol uma pessoa com quem tem afinidades familiares. Trata-se de Maria Jacinto de Sousa Rodrigues que Isabel dos Santos pretendia colocada no lugar de Maria Sandra Lopes Júlio.


Desembarcada em Londres, Maria Jacinto de Sousa Rodrigues mal arrumou a bagagem correu célere para ir ocupar o posto que Isabel lhe atribuiu. Mas o dia foi aziago para a familiar de Isabel. Na delegação da Sonangol de Londres aguardava a intrusa uma equipa de quadros bem informada sobre o que se está a passar na holding. A direcção da Sonangol Limited recusou-se terminantemente a reunir com Maria Jacinto por não reconhecer na sua nomeação qualquer legitimidade.


A título de curiosidade, um membro da delegação local da Sonangol pediu a Maria Jacinto se poderia exibir o despacho que a nomeava. Surpreendida, confessou que não era portadora de tal documento.


Não é apenas a ilegalidade da nomeação que impede que Maria Jacinto exerça as funções para as quais Isabel dos Santos a “nomeou”. A senhora não pode trabalhar em Londres porque não tem visto de trabalho do Reino Unido.


Neste caso, tudo continua como estava, ou seja, Maria Sandra Lopes Júlio continua a ser a legítima presidente do Conselho de Administração da Sonangol Limited. A actual chefe da delegação só deixaria o cargo se resignasse.


De acordo com o sítio Club-K, Isabel dos Santos pretendia Maria Jacinto em Londres por duas razões: primeiro para testa de ferro que movimentaria as suas finanças uma vez que ela está impedida de abrir contas bancárias no Reino Unido e depois porque em Londres, Maria Jacinto se juntaria ao seu marido, o antigo jornalista João Rodrigues, que é o delegado da TAAG na capital inglesa.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: