Luanda - Após o lançamento de uma cerveja 100% made in Angola, investimento responsável pela criação de 350 postos de trabalho directos, a empresária Isabel dos Santos pretende apostar na produção de sumos e águas.


Fonte: Novo Jornal

Com a cerveja "Luandina" já no mercado, produzida pelo grupo Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA), uma parceria de Isabel dos Santos com o marido, Sindika Dokolo, a empresária pretende alargar a oferta neste sector.

 

"No futuro sonhamos produzir também aqui águas e sumos", revela a gestora, através da sua conta no Instagram, onde partilhou uma imagem da fábrica que produz a "Luandina", situada na comuna do Bom Jesus, no município de Icolo e Bengo.

 

Antes de apontar para o futuro, a empresária recorda os desafios ultrapassados para lançar a "Luandina".

 

"Em 2006 nasceu este sonho, não tínhamos a certeza se um dia haveríamos de conseguir. Muitas vezes ao sábado íamos os dois, eu e o Sindika, a conduzir para fora de Luanda, explorar o Bengo, procurar oportunidades, e procurar o terreno aonde um dia poderia nascer este projecto", conta Isabel dos Santos, na reconstituição de um "processo difícil e lento".

 

"Tentamos parcerias, procuramos investidores, tentamos fazer acreditar em nós e no nosso sonho (...) e pelo caminho apreendemos que tínhamos que contar só com as nossas próprias forças e determinação", escreve a mulher mais rica de África, revelando a chave que desbloqueou os planos.

 

"Desenhamos o projecto, fizemos um plano rigoroso e viável, e aos poucos conquistamos o apoio dos bancos comerciais. Graças ao empréstimo conseguido junto do consórcio de bancos nacionais e estrangeiros, construímos os edifícios, compramos os equipamentos, contratamos e treinamos os trabalhadores", diz a empresária.

 

Isabel dos Santos assinala ainda que a "Luandina" permitiu criar "350 empregos directos na fábrica para jovens angolanos", prevendo-se a criação de mais 500 postos por todo o país, por via da rede de distribuição.

 

Recorde-se que o projecto representou um investimento de pelo menos 100 milhões de dólares, tendo sido inaugurado há quase um ano com a produção da cerveja portuguesa Sagres.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: