Lisboa – Isabel dos Santos, filha do ex-Chefe de Estado angolano José Eduardo dos Santos anunciou nesta sexta-feira (9), via instagram, o surgimento de uma pagina electrónica para revelar o que ele acredita serem os  “factos” e “verdades” sobre a vida interna da Sonangol.

Fonte: Club-k.net

“É com o objectivo de repor a verdade em relação às graves acusações feitas pelo actual PCA da Sonangol à anterior gestão e a pessoa dos administradores anteriores na conferencia de imprensa do último dia 28 de Fevereiro que crio este site http://www.factos-sonangol.com/”, escreveu Isabel dos Santos acrescentando que “Repor a verdade pelo bom nome e família pessoas que entraram e trabalharam com espírito de missão. Aqui estão reunidos todos os factos que contrariam a informação erradamente passada.”

 

De realçar que recentemente a nova administração fez uma conferencia de imprensa em que explicou como a antiga PCA Isabel dos Santos teria, na noite da sua exoneração, transferido 35 milhões de dólares para a conta de uma das suas empresas no Dubai. Face a descoberta, Isabel dos Santos mostrou-se chocada enveredando por uma campanha de vingança usando as redes sociais para insinuar que os anteriores conselhos de administração da Sonangol também enveredaram pelas mesmas praticas que ela, mas que no seu caso os “números” foram menor. Deu exemplo que ela gastou 140 milhões supostas consultorias prestadas pelas suas próprias empresas e que o seu antecessor Francisco Lemos Maria teria gasto o dobro quando liderou a Sonangol.

 

Para o analista Pedro Malembe, o que pretende Isabel dos Santos é avançar com uma campanha destinada a denigrir e desacreditar as instituições angolanas com realce a Sonangol, para por em causa a liderança do Presidente João Lourenço. “Isto mostra que o regime esta em contradição. No passado era o MPLA na pessoa do Dr João Pinto e outros que diziam que os ‘revus’ pretendiam desacreditar as instituições e agora vemos a filha do ex-Presidente a enveredar pelo mesmo caminho e ninguém consegue chamar atenção dela”.

 

Segundo Pedro Malembe, “é falta de consideração de Isabel dos Santos denigrir a imagem e reputação de uma empresa que serviu de fonte do seu enriquecimento ilícito. Ela se quer trazer factos, que coopere com a PGR, para que os angolanos percebam as motivações que a lavaram a colocar as suas empresas a prestarem serviços a sonangol quando ela era a PCA, e se constitui cabritismo, favoritismo ou não. É esta verdade factual que as pessoas querem saber, e não vir justificar que roubou menos que os outros”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: