Lisboa – José Filomeno dos Santos foi ouvido a semana passada no Departamento Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP) da Procuradoria-Geral da República. A convocatória é associada o seu envolvimento numa burla de 500 milhões de dólares americanos que ele e seus amigos defraudaram ao Estado angolano nas últimas semanas do mandato do seu pai, José Eduardo dos Santos.

Fonte: Club-k.net

Na altura dos factos, Filomeno dos Santos convenceu o seu pai JES de que uma empresa britânica iria emprestar a Angola 30 bilhões de dólares mas para isso acontecer, o Estado angolano deveria dar um deposito de 500 milhões de dólares que foram transferidos do BNA para conta de uma empresa-fantasma, a "Mais Financial Services" no Crédit Suisse de Londres. A "Mais Financial Services" é uma empresa detida por Jorge Pontes, testa-de-ferro de Zenu dos Santos.


O departamento de Operações Bancárias do BNA efectuou a transferência dos 500 milhões de dólares para a conta da “Mais Financial Services”, no Crédit Suisse de Londres. Essa empresa tentou, a posteriori, a transferência dessa verba para a conta privada do cidadão suíço-angolano Jean-Claude Bastos de Morais. As autoridades financeiras londrinas suspeitaram, e bloquearam a operação.

 

Como consequência, as autoridades britânicas realizaram detenções de supostos sócios de Zenú em Londres e comunicaram Luanda, sobre o sucedido resultando em investigações que iniciaram já, no consulado de João Lourenço como Chefe de Estado.


Em Janeiro deste ano, o Presidente João Lourenço informou ao líder do MPLA, José Eduardo dos Santos sobre a abertura de investigação quando a este processo, em que estão arrolados Filomeno dos Santos, Jorge Pontes e o ex-governador do BNA, Walter Filipe da Silva, responsável pela autorização da transferência dos 500 milhões de dólares.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: