Luanda - Um agente da Polícia Nacional afecto à divisão municipal de Viana foi espancado e violado sexualmente por meliantes no bairro Seis. O mesmo esteve hospitalizado primeiro no Américo Boavida, depois de passar pelo hospital do Capalanca. O comando provincial da PN não confirma a ocorrência.

Fonte: NJ

O referido bairro passou a ser chamado de “nova faixa de gaza” pela elevada onda de criminalidade, onde moradores evitam circular pelas ruas a partir das 19H por temerem assaltos. Dentre as vítimas, as mulheres são alvos preferenciais dos delinquentes que, para além de as roubarem, violam-nas sexualmente, sem importar a idade.

Informações postas a circular nas redes sociais por moradores dão conta de que “aqui sempre teve bandidagem”, mas “agora está pior”, com mortes e violações que acontecem em “todas as semanas”. “Os nossos filhos não vão mais à escola porque os delinquentes só estão a matar”, contam.

 

Recentemente, duas jovens foram violadas e assassinadas “sem pudor”. A violação sexual ao agente ocorreu dias depois de os moradores terem solicitado à polícia que reforçasse o patrulhamento na zona. Atendido o pedido, doze agentes foram destacados para repor a ordem.

 

Foi na madrugada de sábado último, dia 28, que deu-se a violação, quando os agentes ouviram gritos de socorro de dois jovens que estavam a ser assaltados por marginais que usavam metralhadora e pistola. Os gritos alertaram alguns agentes que circulavam nas imediações e prontamente deslocaram-se à rua onde ocorria a acção. Os delinquentes dispararam contra os agentes e estes, por sua vez, tiveram de retirar-se do local supostamente para chamar os colegas que circulavam noutras ruas.

Relatos dos moradores apontam que no momento da retirada, “tentando escapar às balas dos meliantes”, o agente visado decidiu proteger-se numa obra inacabada próxima duma fábrica de blocos. Ali mesmo foi “cercado por cinco jovens” que o torturaram e violaram sexualmente.

 

Para além do agente, mais uma jovem foi violada na terceira rua do bairro. O patrulhamento da polícia intensificou com vista a encontrar os violadores do colega, mas sem sucesso até ao momento, segundo os moradores. Porém, foi encontrado o corpo de uma jovem de 22 anos de idade na mesma obra onde o agente foi violado.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: