Lisboa – O Brigadeiro Samuel Zinga Emília, que no inicio deste mês foi exonerado do cargo de adido de Defesa em Portugal, é citado em meios castrense como estando a “irritar” o ministro da Defesa, Salvino de Jesus Sequeira por não manifestar sinais de regresso a Luanda para desempenhar novas tarefas.

Fonte: Club-k.net

Luanda quer  que ele regresse ao país

No seguimento da sua recente exoneração, Samuel Zinga Emília foi promovido ao grau militar de tenente general e ao mesmo tempo nomeado por decreto Decreto Presidencial n.º 126/18, para o cargo de Adjunto da Direcção Principal de Preparação de Tropas e Ensino para Analise Didáctica dos Programas das Instituições de Ensino Militar do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas.

 

O ministro da Defesa Nacional, segundo apurou o Club-K, aguarda pelo mesmo em Luanda para que lhe seja conferido posse, e inicie a trabalhar. A justificação atribuída a Samuel Zinga Emília de retardar o seu regresso é de que aguarda por um substituto.

 

A semelhança da representação diplomática, as autoridades em Luanda, exoneraram o adido de Defesa Nacional e mantem a chancelaria militar sem um adido nomeado.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: