Luanda – O Grupo Quantum Global apresentou hoje uma actualização sobre a destruição do valor da carteira de investimentos gerenciada em representação do Fundo Soberano de Angola (FSDEA). O Grupo reiterou também o seu desejo de negociar de forma profissional, uma solução para a disputa contratual, algo que a administração do FSDEA parece não querer.

Fonte: Quantum

O dinheiro investido em mais de uma dúzia de empresas em Angola e na África Subsaariana, criou centenas de empregos e gerou riqueza para as comunidades em todo o continente. Este valor está a ser progressivamente destruído devido a uma estratégia jurídica agressiva do FSDEA, e a contínua recusa em negociar de modo a se encontrar uma solução, para aquilo que é, essencialmente, uma disputa contratual.


Ao continuar a recorrer aos processos judiciais equivocados nas Maurícias e no Reino Unido, o FSDEA está a destruir o valor dos seus próprios investimentos. As empresas do portfólio não podem pagar salários, manter operações, cumprir obrigações contractuais para financiar a construção de novos edifícios ou pagar impostos, ou contas legais. Os resultados específicos da destruição incluem o seguinte:


Sem uma equipa de gestão no terreno, a extracção ilegal de madeira deverá retomar imediatamente em grande escala nas concessões florestais da Estrela da Floresta


Ao entrar na estação seca, devido à ausência dos trabalhadores angolanos para a gestão dos campos, as novas plantações desenvolvidas anteriormente já começaram a arder.


Sem uma equipa de gestão, as fazendas Fazangola não podem garantir que a colheita seja feita durante este momento crítico da estação.


Os trabalhadores angolanos da empresa Fazangola não serão pagos, privando-os de sustento e capacidade de sustentar as suas famílias.
O contratante principal na remodelação do Hotel Lusaka Intercontinental parou o projecto de remodelação, expondo o fundo do Hotel a responsabilidades legais significativas.


Várias pequenas empresas angolanas, que prestam serviços ao conjunto de empresas da carteira de investimentos do FSDEA não foram pagas.

Em última análise, são os angolanos que mais estão a ser prejudicados, pois são os proprietários da carteira de investimentos e os que sentem os benefícios destes investimentos, através da criação de emprego local, que está a ser afectado pela abordagem jurídica do FSDEA.


A Quantum Global continuará a defender sua reputação contra os ataques injustificados por meio de procedimentos legais nas Ilhas Maurícias e no Reino Unido. Mas, ao mesmo tempo, o grupo espera resolver essa disputa contratual de maneira profissional.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: