Luanda - A AJPD - Associação Justiça, Paz de Democracia endereçou no passado dia 26 de Junho, uma carta ao Presidente da República, João Lourenço, questionando se o Estado Angolano tomou alguma medida para recuperar cerca de oito mil milhões de dólares, decorrentes de uma acção judicial contra a empresa belga, Omega Diamonds.

Fonte: AJPD

Envolvendo a filha do ex-presidente

O processo que decorre no tribunal de Ghent, na Bélgica, diz respeito a cerca de 8 mil milhões de dólares que terão sido desviados de Angola. As autoridades belgas investigaram a ligação da empresa belga à Ascorp e a actuação da Omega Diamonds que terá atribuído classificações fraudulentas aos diamantes provenientes de Angola.

 

David Renous, perito belga em geopolítica diamantífera e autor da denúncia, explicou numa conferência de imprensa em Junho, passado, no Parlamento Europeu, o esquema de lavagem de diamantes que fazia com que os diamantes angolanos chegassem à Bélgica como se fossem provenientes do Dubai.

 

Na altura, apenas a Ascorp [Angola Selling Corporation], fundada em 2000, com a participação da filha do ex-presidente, Isabel dos Santos, detinha o direito exclusivo de vender e exportar diamantes de Angola.

 

Segundo avançou a eurodeputada, Ana Gomes, que também participou na conferência, esta é uma boa oportunidade para as autoridades angolanas reclamarem milhares de milhões de euros que resultam do branqueamento da venda de diamantes. Ainda segundo Ana Gomes, Angola "não precisa de passar pelo Dubai e pelos esquemas que a (empresa) Ascorp no passado engendrou para desviar recursos do Estado angolano".

 

Esta conferência realizou-se "justamente para encorajar as autoridades angolanas a chegarem-se à frente, a sinalizar às autoridades belgas que, em matéria de diamantes, Angola quer uma relação directa".


A pergunta, até à data sem resposta, impõe-se e a AJPD reitera: “Angola já tomou alguma medida com o escopo de recuperar os 8 mil milhões de dólares a favor do Estado Angolano”?

LUANDA, 4 de Julho de 2018 AJPD

Lúcia da Silveira (Presidente)

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: