Cunene - A cultura Oshiwambo, da qual faço parte, é rica em provérbios e outros ensinamentos populares seculares. E por ser a sabedoria de um povo, o ensinamento dos seus provérbios não deve constituir-se ofensa para ninguém, apenas serve de lição a aprender para vida, tal é o objetivo primordial dos provérbios. O nosso mais velho Makuta Nkondo, muitas das vezes, também nos ensina com os ricos provérbios e ditos do povo bakongo, tal é a riqueza, do mosaico populacional de Angola, ignorada e mal aproveitada para a desgraça do Estado angolano.

Fonte: Club-k.net

Entre o povo Ovawambo há um provérbio que diz: “Omuhalombwelwa ohai nomatudi po vanu” (o inconselhável vai sujo de merda diante das pessoas), e nas brincadeiras da nossa juventude dizia-se, sem ofensa, que “Omunamata okuna emata dilengifa hadidulu okumwaanyifa oda eituuwa monufu, ndele otati inaiyamo monufu”(O teimoso é tão teimoso que, estando a ser enrabado, é capaz de negar o pénis enfiado no seu cú).

 

Dito isso, gostaria de dizer, a título pessoal, que nunca gostei dos formalismos exacerbados. Nunca gostei dos procedimentos fantasistas dos comunistas que para defenderem a sua ideologia, estupidamente, desvirtuam a realidade e com ela a verdade das coisas. Nunca gostei de governos que, em nome da sua imagem, travestem a realidade subjugando os anseios e os direitos legítimo do soberano povo.

 

Infelizmente, há governos que preferem cultivar narcisicamente a sua imagem em vez de se esforçar em mudar, mediante a boa governação, a realidade socioeconómica e político-financeira do país que governa para o benefício das suas populações.

 

Em nações onde o centro da governação é o bem do cidadão, do desenvolvimento do país e do respeito pelos direitos fundamentais do povo soberano, o que carateriza a boa imagem desses governos democráticos é exatamente a organização funcional, realista e proactiva do estado. Isto é, os tais governos estão democrática e tecnicamente preocupados em mostrar para o mundo a boa imagem do país real que se têm.

 

No caso de Angola, infelizmente sempre acontece o contrário. Quando ouço dizer que o presidente da república criou por decreto presidencial um grupo de trabalho para melhorar a imagem institucional do Governo, fico de boca e me interrogo sobre o que vai na cabeça desta gente do MPLA. Mas esses senhores governantes não sabem que a imagem de um governo melhora-se não com grupos formados por decretos presidenciais mais sim por um trabalho árduo de melhorar a vida dos cidadãos?

 

E provoca fastio todos os meses ouvir-se e ler-se decretos presidenciais que criam comissões ou grupos de trabalho que nunca resolvem nada e, infelizmente, cessam os prazos sem terem cumprido com os objetivos para os quais foram criados e sem dar a conhecer ao país os relatórios resultantes do trabalho feito. Para que servem? E será que as pessoas que fazem parte dessas comissões ou grupos de trabalho, criados por decretos presidenciais, são pagas para esse efeito? Se sim, porquê se gasta dinheiro para nada? E porquê sobrecarregar os ministros com comissões ou grupos de trabalhos se nem sequer conseguem dar conta do trabalho dos seus ministérios? Entreguem esses trabalhos aos gabinetes de estudos das Universidades que existem em Angola. Não é para isso que existem como centros universitários e de investigação? Copiem as boas práticas dos outros países, meus senhores!

 

Desde que o presidente João Lourenco tomou posse já criou várias comissões ou grupos de trabalho, mas até aqui nada se sabe dos resultados desses mutantes. Mas ainda, essas comissões tem dias estipulados para realizar os trais trabalhos, mas as datas são ultrapassadas e nada se vê. E pior de tudo, os tais grupos são extintos e tudo fica-se por ai como se estivessem num país do pai banana.

 

Senhor presidente, a boa imagem do governo, e por consequência a do país, não passa pela propaganda ideológica barata feita por grupos de trabalho com ajuda de especialistas externos ou por um Manual de Comunicação Administrativa e Identidade Visual do Governo. A boa imagem do governo e do país passa por resolver os problemas do povo e do país real. Passa por tratar com dignidade os muitos bolseiros esfomeados e abandonados por esse mundo fora. São filhos legítimos de Angola e futuros quadros do país. Querem o desenvolvimento do país sem investir nem cuidar bem dos estudantes que são abandonados nos países de seus estudos? Diante dos governos e dos cidadãos dos países onde se encontram esses bolseiros, que imagem lhes fica na retina dos seus olhos e que sentimento no coração sobre o governo do MPLA que trata com leviandade e desumanidade os seus filhos bolseiros futuros quadros para o país? A boa imagem do governo passa por escolher ministros, governadores provinciais e administradores municipais competentes, com ideias novas, com visão patriótica e humanista, com conhecimento da realidade do país e com vontade efetiva de mudanças. Senhor presidente, olha para as províncias e municípios deste país. Que dirigentes você colocou lá? Garanto-lhe que nem com especialistas de Marte ou da Lua ou com lixivias da china consegue limpar a imagem podre do seu governo. Gente caduca do tempo colonial, gatuna, sem juízo, mentirosa e velha a babar-se por todo lado.

 

A boa imagem do governo passa por criar condições de saneamento básico nos bairros das cidades de Angola, onde não há luz, nem água, nem segurança e nem estradas, autênticos SHITHOLE e laboratórios de criminalidade onde o povo está entregue aos SHITs incompetentes do seu governo.

 

A boa imagem do governo passa por pôr a lei a funcionar nos tribunais e nas direções inspetivas de cara área para sanear a vergonha da corrupção, dos ladrões do erário público, do cabritismo, do amiguismo e do nepotismo nas instituições do estado, das universidades e dos cursos ilegais no país, das farmácias ilegais e dos produtos falsos que perigam a saúde física e mental do povo. E esses estabelecimentos e produtos, às centenas, não estão no último município de cabinda ou do Cunene, estão mesmo, mesmo nas barbas do senhor presidente e nas saias das ministradas da Saúde, do Ensino Superior e da Indústria e Comércio, aqui mesmo em Luanda. Que vergonha de imagem institucional!

 

A boa imagem do governo passa por transmitir, na TPA, as sessões parlamentares para o povo saber e ver o desempenho e como se comportam os seus deputados. Então não foram eleitos pelo povo? Escondem o quê? Para os Lexus que mancham a imagem do governo há dinheiro, mas para transmitir as sessões parlamentares que devem limpam a imagem do governo, não há dinheiro? Que vergonha de imagem institucional.

 

A boa imagem do governo passa por reaver os milhões que os gatunos do MPLA roubaram ado erário públicos e aos cofres do estado julga-los e mete-los na cadeia. Não lhe mete vergonha ter as cadeias cheias de pilha galinhas e os ladrões de milhões a passearem livremente pelas belas avenidas do Ocidente?

 

Senhor presidente, enquanto tivermos um país do pai banana aonde as instituições do estado fazem e desfazem, a seu bel-prazer, sem lei nem rei, estamos entendidos. Pode trazer especialista de imagem de todos os cantos do mundo e paga-los a preço de ouro, só fica o país pobre por ter dado o nosso dinheiro aos mercenários de imagem e voltarem felizes para os seus país e a fazerem careta para nossa cara, e nós por cá continuaremos neste país SHITHOLE entregue aos mesmos SHITs incompetentes do seu governo.

Viva a Revolução de paradigmas
Viva Angola de Neto, Savimbi e Roberto.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: