Luanda - A " lei " da arrogância e falsidade foi demonstrada hoje na Assembleia Nacional com a consagração do dia 23 de Março como " dia da libertação da África Austral " e como tal, feriado nacional!!!


Fonte: Club-k.net

Sobre a matéria muito tem sido explicado como os recentes depoimentos feitos pelo Gen Numa, T/C Lourenço Bento e outros.


Em virtude de não terem sido respeitadas as explicações baseadas na verdadeira história dos factos optando-se por invenções que em nada contribuem para o espirito de reconciliação nacional , vejo-me na obrigação de trazer a público aquilo que realmente aconteceu , pois, a história deve ser narrada com os seus activos e passivos para o conhecimento dos vivos . Assim, para melhor entendimento do que realmente aconteceu, situemo-nos no tempo e no espaço :

1976 - A FNLA e UNITA são expulsas das sedes de capitais provinciais pelas forças cubanas apoiadas por forças da antiga União Soviética . O último reduto foi o Huambo que caiu a 8 de Fevereiro. A UNITA, sozinha, opta pela luta de resistência pela sobrevivência em defesa da Democracia. Os "slogans " do MPLA que se desenhavam eram contrários a um contubérnio na Pátria comum. Recordemos alguns deles : " morte aos fantoches " ; " para a UNITA nem um palmo da nossa Terra "; " NUNCA NEGOCIAR COM A UNITA " . Lançado o clima de exclusão, o Dr Jonas Malheiro Savimbi à testa da Coluna de Resistência , falava para os quadros da seguinte maneira : " o MPLA diz que nunca vai negociar com a UNITA; não é verdade, porque na Gramática Política o advérbio de tempo NUNCA não consta; ele vai negociar. Basta dispormos constantemente da Razão e da Força; a Força fará da nossa Razão a nossa Força; constantemente, da Razão e da Força; a Força fará da nossa Razão a nossa Força ".

 

1987 / 88 - Volvidos cerca de 12 anos de combate com avanços e recuos, recuos e avanços, a UNITA que tinha sido impedida de ocupar um único palmo da nossa Terra, ocupava perto de 2/3 de Angola que fazendo contas muito simples , circulava em cerca de 831 mil km2( 831 mil kilómetros quadrados).


De entre várias batalhas travadas, a Batalha do Kuito Kuanavale é um mito porque a verdadeira Batalha de 1987 / 88 foi a denominada Batalha Lomba 87. Estava em causa o controlo de Mavinga para cujo desfecho estaria em causa a tomada da Jamba.

 

O Kuito Kuanavale serviu de palco de escape das forças coligadas FAPLA / RUSSO -CUBANAS em direcção à cidade de Menongue face a pesados resultados registados no campo operacional que podem ser confirmados por outras fontes como as constantes do Livro intitulado " AT THE FRONT " do General sul-africano Jannie Geldenhuys - 1994, 2009, a quem o MPLA tentou corromper para que escrevesse a aceitação da derrota!!!

 

Assim, para que se esclareça a verdade, os dados estatísticos falam por si e os angolanos tirem conclusões se há razões para feriado, mormente pelos danos humanos :

 

 

Esta é a situação real dos resultados decorrentes da Batalha Lomba 87 onde se admite terem perecido 31 soldados sulfricanos e cerca de 6 devido à malária, perto de 230 combatentes das ex FALA e 4.785 entre ex FAPLA, Russos e Cubanos e que segundo os arquivos da Rússia admite-se terem ficado no campo de batalha mais de 100 homens russos.

 

Foi a partir desse combate que o MPLA que dizia NUNCA negociar com a UNITA, aceita negociar( o que veio acontecer em Portugal), com a aceitação do multipartidarismo e da realização de eleições.

 

Aliás, em política, só há negociações em caso de equilíbrio na correlação de forças.


Assim, parafraseando o Dr Savimbi, a Força fez da nossa Razão a nossa Força e hoje mal ou bem, os angolanos todos usufruem da Democracia.

 

Portanto, se é que se pretende transformar a data em Feriado Nacional, só teria sentido se fosse Data do Resgate da Democracia negada aquando da nossa Independência.

 

Portanto, Kuito Kuanavale é um mito daqueles que não estão preparados para uma verdadeira reconciliação entre irmãos desavindos continuando a praticar o mal quando nos seus discursos admitem corrigir o que vai mal!



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: