MPLA a crónica maligna da incompetência correlacionada

O sistema do secretismo do direito a escolha livre de um líder em geral em Angola pariu das vestias do MPLA. Esta virtude já era característica durante a gerência de Agostinho Nelo. Em pleno início do século XXII neste partido ainda não se goza o direito do voto aberto.

Em Setembro não votarei a favor de decursos e cifras falsas. Não darei a minha confiança para aqueles que transformaram a política num jogo de palavras. Promessas não enchem barriga.

Em Setembro votarei contra a falta de energia em Luanda. Votarei também contra um líder que mal conhece o seu povo. Estou exausto de receber os recados do Sr. presidente através da Angop.

Em Setembro, terei a opção de falar basta a pobreza. Basta da discrepância abismal entre ricos e pobres. Basta de viver num país aonde o governo só constrói casas para os milionários.

Nas próximas eleições gritarei bem alto com o meu voto: O MPLA de JES não esta apto para governar. Os nossos governantes são como se fossem peças de xadrez. São exonerados das Finanças por irregularidades, mais mesmo assim, JES o deposita confiança para governar o ministério do Plano. Um incompetente num ramo será obviamente um fracasso na outra. JES acredita que um dirigente erra numa área mais poderá acertar na outra.

Os amigos leitores: Se queres que Angola continue estagnada para mais 30 anos. Se apoias os políticos dos verbos. Se faz-te feliz ver as crianças de rua sem futuro. Se progresso social significa construir uma ponte. Se acreditas que crescimento económico é construir um par de casas para a classe dominante. Se igualdade é o sinónimo de comunismo familiar (se…). A opção científica e correcta é votar no MPLA.

* PGarcia
Fonte: Club-k



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: