Luanda -  O único hospital de referência no país, Neves Bendinha, especializado em queimaduras recebeu da LIMA, o braço feminino da UNITA mais um gesto de solidariedade. Em alusão aos 16 dias de activismo contra a violência no género, LIMA”, efectuou no dia 26 de Novembro de 2010, uma visita ao Hospital dos queimados, em Luanda.


Fonte: UNITA
 
 
A visita teve como objectivo, solidarizar – se com as vítimas de queimaduras que se encontram internadas naquela unidade hospitalar, tendo na ocasião doado bens de primeira necessidade e visitado demoradamente os doentes.

 

Acolhida pela direcção do Hospital, a LIMA recebeu do responsável da instituição, um gesto de gratidão pela iniciativa, e aproveitou a circunstância para apresentar aquilo que é preocupações da unidade sanitária.

 

Valdemiro Mateus Diogo, Director geral disse na ocasião, que não havia estrutura suficiente para corresponder à demanda, pois o” hospital é muito pequeno com apenas 70 camas, numa procura diária de 20-30 doentes queimados”. “Precisamos urgentemente de novas estruturas e de mais técnicos formados nesta área”.  São poucos os médicos para o trabalho que se faz, segundo se pôde apurar no terreno.

 

Diogo, apontou como causas do “altíssimo nível de mortalidade”, a falta de cuidados por parte dos cidadãos no uso de botijas de gás, geradores e também de velas. Há também crianças queimadas pelos seus progenitores e às vezes por causa de quinhentos kwanzas desaparecidos”, disse uma enfermeira que apontou a perca dos valores familiares como outra das causas. 

 

Num desenvolvimento separado, a presidente da Liga da Mulher Angola, Miraldina Olga Jamba, manifestou sexta-feira última, 26, eupatia para com os actos praticados por certos agentes da polícia contra as mulheres zungueiras, e apelou as angolanas, para que nesta quadra dos 16 dias de activismo contra a violência, determinem os objectivos comuns que visem extirpar da sociedade a violência.

 

A LIMA realiza no dia 2 de Dezembro do ano em curso no INAC, em Luanda um workshop, sobre violência no género e Delinquência Juvenil.

* Foto de arquivo: Matilde Lukamba



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: