A carregar...

Artigos

Caso Quim Ribeiro: A humilhante detenção de António João - Victor de Assunção

1 1 1 1 1 Como classifica este artigo? 0.00 (0 Votos)

Luanda - Hoje pela manhã a população de Luanda deparou-se com uma grande vergonha e falta de humildade e de respeito por parte  das instituições de justiça que apregoam ser Angola um país democrático de direito, quando pelas ruas da cidade viaturas (2 ) com elementos armados até aos dentes, transportavam na carroçaria o ex-Director Provincial da DPIC o Sr. Dr. António João mais dois outros detidos antes afectos a Divisão de Viana (chefe de Departamento de Investigação e o chefe de serviços de sector ) com o pretexto de se efectuarem diligências junto da casa deste primeiro e junto do Departamento de investigação de Viana.


Fonte: Club-k.net

A democracia ficticia através do terror das armas

António João foi transportado como se de um reles marginal se tratasse até sua residência, onde chegados seus carrascos nada encontraram. Segundo a fonte, já em sua casa, este pedira como é caracteristico nele dentro da educação que lhe é peculiar, que aguardassem pelo seu advogado, para que acompanhasse na realização das buscas, o que lhe foi negado de forma abusiva, dizendo o chefe da missão de que não havia tempo para tal.


A caravana rumara para o município de viana, com destino ao  Departamento de investigação criminal, mas como havia a intenção de humilharem as suas vitimas, estes estacionaram no comando de divisão da área, sendo obrigados a caminharem para o Departamento para que fossem vistos pela população, na pretensão de satisfazerem os seus instintos maléficos, o que foi feito, sem que houvesse um gesto de resistência a ordem de seus carrascos.


Terminada a presumível diligência e nada de realce encontrado, e não saciados com o pobre espetáculo que exibiam, já que se achavam os donos da justiça, partiram para a DPIC, onde sem nenhum mandado para o efeito, pretendiam efectuar uma nova busca ao gabinete onde até então funcionara o ilustre Director sem o conhecimento da actual Comandante Elizabeth Rank Frank, onde esta gozando das prerrogativas que lhe foram atribuídas e agastada com tanta humilhação ao ver seu camarada de corporação que ela  reconhece idoneidade  e profissionalismo sem nódoas, colocara  fim a situação, exigindo que fosse ao menos exibido um mandado para o efeito, alegando mesmo que se soubesse que o pedido efectuado para a disponibilização das viaturas fosse para aquele efeito não teria sido permitido.


António João, licenciado em direito pela universidade Agostinho Neto, é tida como pessoa afável no meio de seus subordinados e até mesmo da população de Luanda, aqueles que tiveram o privilégios de contacta-lo na sua vigência, respeitador e cumpridor das leis a risca, facto que quase lhe custou a exoneração do cargo pelo então Comandante Quim Ribeiro, sendo-lhe dado voto de confiança  e permanência por altas patentes da hierarquia da policia de Angola.


Nascido de uma família humilde e sem recursos, António João chegara ao posto mais alto da Investigação de Luanda por mérito próprio sem compadrinhos nem esquemas sujos a que já nos habituaram algumas pessoas que chegam aos postos mais altos, pelo que segundo alguns círculos, fala-se mesmo em uma greve de protesto contra tais humilhações, exigindo um estatuto especial de futuro para os oficiais daquela corporação que por sinal em termos de metodologia de investigação não são inferiores aos elementos da Procuradoria Militar, que até em tempos idos já demonstraram terem fraco conhecimento de instrução de processos e investigação. Pedem ainda que o processo seja transparente e que as provas sejam postas a mesa e que os culpados sejam punidos e não os inocentes por não ostentarem nomes ou caírem nas graças dos poderosos que determinam o destino dos menos afortunados.






Debate o tópico nas redes sociais:





Debate no Club-K:


NOTA: Os comentários postados neste portal são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Por favor, leia os Termos de Uso. O Club-K reserva-se ao direito de moderar os comentários suspeitos de conter palavras ofensivas e apagar os que não cumpram as regras.



Comentários Arquivados:



Actualizar comentários 

0 xray 03-08-2012 23:16 #60
meus irmaos vamos com calma e respeito,acho eu que alguns comentaristas como?O tal de Mig-27 e o dito mulssumano Rafaiel haman so cabem na cabeça de um analfabeto como eles,em nenhuma parte do mundo enxiste estabilidade total,prinçipal mente em paises com varios recursos naturais,devemo s analizar os factos com verdadeiro sentido de responsabilidad e,e nao falar besteiras,como angolanos dvemos acreditar na democraçia q aos poucos ja se faz sentir,esto de lançar bombas ter homens bombas nao e a soluçao meus irmao,ja e visivel a justiça em Angola ja enxite lei neste pais podem querer,agora mas do q nunca,pque o partido no poder nao tem outra soluçao se nao mostra a verdade no povo agora um dia havera mudança,estao a espreita e bem organizada actualmente certos partidos de oposiçao q pdem um dia dar a revira volta e o povo sabe disso,entao seremos mas cultoa,intelect uas,sivilizados qdo comentamos assuntos desta natureza,mta calma nesta horaaaaaaaaaaaa aaaaaa.
0 Adreu Lunda 06-04-2011 11:05 #59
Foi bem feito o trabalhos da P.J. porque aquela cara dele e de assassinos esses camaradas ja mataram muita gente que ate deveriam madar para cadeia afim de serm julgados porque ele sendo chefe sabia todas essas merdas agora falta o lito chuva e o neco esses entao sao os mestres para matar a ordem do chefes que estao nacadeia e bem presos.Fuiiiiii ii
0 santa dos impossiveis 18-12-2010 11:30 #58
não era necessario tdo isto, que vergonha, tenham piedade das esposas, filhos,resolvam mais nao humilhem,se tiver que cumprir assim o façam, um director provincial é uma lastima. só espero que todo aquele dirigente que cometer o fim tem que ser este.
0 Teu Visinho 17-12-2010 14:10 #57
Muito bem, esperamos ver situações deste genero acontecer, é para os outros compadres que seguem o mesmo rumo ter um pouco de medo das coisas que fazem, é so para ver que GALINHA NÃO SEGUE PATO, ele segui agora aguenta, quem com ferro mata, com ferro deve morrer. esperamos acompanhar este caso vai até ao final na TPA.
0 BUFO 16-12-2010 01:10 #56
PRENDAM MAS E O GAJO DO ANTONIO JOAO NA MORTE DE MEU PAI GENERAL FILIPE MANDOU DIZER AOS INSTRUTORES QUE ESTAVAM A FAZER AUTOPSIA QUE STAO A PERDER TEMPO ABANDONEM LA ISSO ,MEUS SENHORES MAS UM CAO ,SUBORDINADO,MI UDO DISRESPEITA ASSIM UM GENERAL AINDA POR CIMA O VELHO FOI ENG DE TELECOMUNICACAO ES DO EMG FAA QUE MERDA DE PESSOA ES ANTONIO JOAO AGORA PAGA TUDO CA SE FAZ,CA SE PAGA VAIS PASSAR BEM O NATAL BICHO DEVIAM E TE ENVENENAR JA COMO NOS TEMPOS DO MISSA DIZA COM UMA DE AGUA JA ERA SEU RAQUITICO DE MERDA. gargalhadas: gargalhadas: gargalhadas: gargalhadas: gargalhadas: gargalhadas:
0 Lewis derramado 16-12-2010 00:37 #55
a queda de um graúdo arrata constgo muitos peixinho que no caso serão os sacrificados pois eram o escudo QR.
0 Lewis 16-12-2010 00:18 #54
quem se mete na chuva espera molhar-se!
0 Oprimido 13-12-2010 21:05 #53
Voc^é muito burro. Então porque uma pessoa pede para que se translade o corpo para a morgue para se fazer a autopsia já é persona non grata? em segundo lugar as autopsias não são feitas no Americo Boavida, mas sim no Josina Machel. Deviamos ter respeito pelo António João, mesmo sendo filho do operário lutou e chegou lá sozinho, demostrando que o filho do operário e do camponês também tem inteligência e podem chegar a qualquer lugar de destaque como os filhos dos mandôes que vão estudar nas americas e europa ocupando os lugares dos pais como se este país fosse uma monárquia
0 sapalo malhero jonas 13-12-2010 18:43 #52
so os pobre é que devem ser levados de qualquer jeito?por mim bom feitos camada de incopetentis
0 Raiter 13-12-2010 17:42 #51
Sem comentarios
leftCLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

O CLUB-K.net foi fundado aos 7 de Novembro de 2000, e é integrado por jovens angolanos (voluntários), com missão representativa em diversos países e reconhecido a nível internacional como uma organização não governamental.

NEWSLETTER

Assine a nossa Newsletter para receber novidades na sua caixa de e-mail. "Gosta" da nossa página no Facebook para receber novidades na parede do seu perfil no Facebook.

INSERE O SEU E-MAIL