Bastidores

General Laborinho favorito para ministro do Interior

Lisboa - Em meios do regime próximos do círculo presidencial conjectura-se ultimamente que o tenente-general Eugénio César Laborinho, actual Secrétario de Estado do Interior é a figura que o Presidente, José Eduardo dos Santos (JES) prefere para vir a substituir Ângelo Tavares de Veiga Barros como ministro do Interior.

Fonte: Club-k.net

Morte de militante  da UNITA precipita  queda de Ângelo Tavares 

De acordo com as referidas conjecturas, JES terá dado tais indicações  antes de realizar a última viagem a Barcelona ao avaliar a posição  do ministerio do interior sobre o ataque violento que uma delegação de deputados da UNITA sofreu em Kapupa (Cubal – Benguela) nas mãos de militantes do MPLA resultando em um morte e três feridos.

 

Na sua reação interna, JES teria reagido mais ou menos assim, junto dos seus assessores “estão a ver, eu queria nomear o camarada Laborinho, como ministro mas vocês opuseram-se, olhe agora o que este homem está a fazer”.

 

José Eduardo dos Santos referia-se ao relatório do ministério do interior (lido pelo comissário Aristófanes Cardoso dos Santos) sobre o ataque na Kapupa que continha dados aparentemente manipulados onde apresentavam a vítima (UNITA) como culpada.

 

O Presidente da República viu-se forçado em desmarcar-se da posição do ministério do interior tomando uma posição pública em que sugeria o aprofundamento e o melhoramento das investigações quanto ao ataque contra delegação do maior partido da oposição.


“Tudo deve ser feito para evitar que situações como estas não voltem acontecer”, disse o também Presidente da República de Angola, na cerimónia de abertura da IV sessão extraordinária do Comité Central do MPLA, no primeiro dia de Julho.


Numa ação aparentemente destinada a corrigir o seu erro, o ministro do Interior, exonerou o director provincial do Serviço de Investigação Criminal de Benguela, e autor do relatório manipulado superintendente-chefe Armando Vieira que foi recentemente substituído por superintendente Joaquim António José. Armando Vieira o autor do relatório manipulado foi entretanto transferido para a província do Huambo.

 

De realçar que esta não foi a primeira vez que o PR toma decisões em reação a relatórios de teores duvidosos que lhe chegam as mãos. Muito recentemente abordou o general Manuel Vieira Dias sobre a autenticidade do teor de um outro relatório, também da autoria do ministro Ângelo Tavares de Veiga Barros respeitante a operação que causou o desaparecimento de dois activistas Isaias Cassule e Alves Kamulingue, assassinados por agentes da Polícia de Investigação de Angola.

 

Tema relacionado:

O ataque de que fomos alvo foi premeditado, diz relatório da UNITA

Matross recusa deixar o cargo de SG do MPLA

Lisboa - Estão a ser identificadas no actual Secretário-geral do MPLA, Julião Paulo "Dino Matross”, manifestações de recusa em abandonar o cargo partidário que cessa formalmente na próxima terça-feira (22) quando for anunciada o novo Secretariado executivo do Bureau Político do MPLA, na primeira reunião do Comité Central após o congresso.

Fonte: Club-k.net

Deverá ser colocado como Secretario dos antigos combatentes 

De acordo com estimativas, o Presidente José Eduardo dos Santos é aguardado que venha indicar como “vice” do partido, o ministro João Manuel Gonçalves Lourenço, por sua vez a pasta da Defesa Nacional seria assegurada pelo general Francisco Higino Lopes Carneiro que pode deixar Luanda a favor de Job Castelo Capapinha.

 

Para Secretário Geral, deverá ser nomeado o engenheiro António Paulo Kassoma, actual secretário dos quadros. Quanto a “Dino Matross”, o SG cessante, há ventilações de que pode vir a ser acomodado como Secretario para os antigos combatentes, em substituição de Francisco Magalhães Paiva “Nvunda”.


É também estimada a saída do actual Secretario para informação, Mário António de Sequeira e Carvalho por alegada inoperacionalidade no sector. Para a sua substituição estão a ser sugeridos, pela imprensa angolana, nomes como Carolina Cerqueira, Manuel António Rabelais.

 

É igualmente aventada a saída de João Martins “Jú”, do cargo de secretario para os assuntos políticos. Para a sua substituição fala-se em dois nomes. O de Mário António de Sequeira e Carvalho e de  Carlos Maria Feíjo.

 

General “Kianda” pediu passagem à reforma

Lisboa - As reclamações levantadas à margem do VII congresso do MPLA, segundo as quais o general Salviano de Jesus Cerqueira “Kianda” não deveria ingressar no Comité Central por imperativos constitucionais, foram recentemente desdramatizadas com o avanço de dados explicando as condições o remetem para atividades políticas.

Fonte: Club-k.net

Polêmica em torno do seu ingresso ao Comité Central do MPLA

Segundo dados, a sua entrada ao Comité Central do MPLA foi antecedida como antecipado pedido de passagem á reforma, ocorrido em 2014, e aceite pelo Comandante-Em-Chefe das Forças Armadas Angolanas, José Eduardo dos Santos conforme consta numa ordem n.º 10/14 reproduzida em Diario da República.

 

O documento indica igualmente passagem à reforma por Limite de Idade, de outros generais como Luís Pereira Faceira, Mbeto Monteiro Traça, Augusto da Costa Carneiro, Benigno de Oliveira Vieira Lopes, Raul Pedro Hendrick da Silva e etc.

 

O general Salviano de Jesus Sequeira, é presentemente o Secretário de Estado da Defesa para os Recursos Materiais, cargo que pode ser ocupado tanto por um oficial no activo ou reformado. No período que antecedeu a Independência de Angola fez parte da guerrilha do MPLA onde se destacou como comandante baseado na zona norte do país. Presentemente, corre que manifesta vontade de afastar-se também do executivo para desfrutar da sua reforma.

 

TV Zimbo deixa cair novamente a sua máscara partidária

Luanda - A TV Zimbo que, à semelhança dos demais órgãos públicos e privados de comunicação social excedeu-se na cobertura do congresso do MPLA, deixou cair novamente a sua máscara partidária.

Fonte: Club-k.net

No final do conclave do “M”, Francisco Mendes, um dos principais pivôs desta estação televisiva privada, protagonizou mais um episódio rasteiro em matéria de jornalismo que teve como objectivo “esvaziar” ou, no mínimo, contrariar uma entrevista que o líder da banca parlamentar da UNITA, Adalberto Costa Júnior, havia dado momentos antes à Zimbo.


Chamado a comentar o discurso do Presidente do MPLA, o responsável da UNITA teceu duras críticas ao pronunciamento do líder do maior partido em MPLA, o que terá provocado algum desconforto ao entrevistador, embora o representante da UNITA tivesse tido também a hombridade de elogiar alguns aspectos “positivos” do conclave do “M”.


Se o gesto de convidar um dos responsáveis do maior partido da oposição para comentar o discurso do presidente José Eduardo dos Santos foi um acto digno de registo, porque inédito entre nós, este ganho acabaria, porém, por ser manchado, com outra entrevista feita logo de seguida a Jesuíno Silva, 2.º secretário do Comité Provincial do MPLA em Luanda, que, curiosamente, não se encontrava na sala onde fora entrevistado Adalberto da Costa Jr..


A forma como Jesuíno Silva reagiu prontamente ao pronunciamento do representante do Galo Negro, aponta que o cenário tinha sido previamente montado pela Zimbo, pois só assim se justifica como ele teve acesso às declarações de Costa Jr. Só pode!


Este caso remete-nos para outro episódio não menos caricato, quando há dias Francisco Mendes, numa espécie de boca de aluguer, questionou, no final de uma entrevista que fez ao reverendo N´Toni Zinga, por que razão, este não gostava do MPLA...

Fundos do GRECIMA usados para imagem do MPLA

Lisboa - O Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional e Marketing da Administração «GRECIMA», órgão da Presidência da República que depende do Orçamento Geral do Estado (OGE) tem sido usado para trabalhar na imagem do partido, MPLA.

Fonte: Club-k.net

Revelação veio  do próprio Vice-Presidente do partido 

A revelação foi vazada pelo Vice-Presidente do MPLA, Roberto Victor de Almeida do MPLA quando procedia a leitura do Relatório de de balanço do Comité Central cessante, aos congressistas do VII Congresso do partido, aberto quarta-feira, 17/08, em Luanda.

 

Ao ler o relatório, o dirigente partidário destacou o papel do GRECIMA, no trabalho da imagem do PR e do MPLA, as campanhas de crescimento da JMPLA levadas a cabo por esta organização juvenil do partido no poder e o processamento de dados dos militantes com capacidades eleitoral, no âmbito das eleições legislativas de 2012, foram realçadas no relatório de balanço do Comité Central cessante, apresentado aos congressistas.

 

De acordo com pareceres, sendo um órgão do Estado e dependente do Orçamento Geral do Estado, o GRECIMA não pode ser usado para trabalhar na imagem do partido MPLA pelo constitui um acto de ilegalidade.

 

Em Setembro de 2008, a UNITA denunciou um suposto financiamento do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) ao MPLA, que nega ter recebido o valor.

 

O porta-voz da Unita, de então, Adalberto da Costa Júnior, disse que o seu partido entregou à CNE uma carta formal pedindo fiscalização sobre um "financiamento ilícito" de US$ 42,9 milhões (R$ 70 milhões) ao MPLA por parte do BDA, apresentando como prova um documento "confidencial", supostamente com origem na instituição bancária.

 

Fundos do GRECIMA para os filhos do PR

 

O GRECIMA, é uma estrutura que a partir da Presidência da República controla indirectamente o sector da comunicação social. Até 2012, o seu orçamento chegou a estar perto dos 100 milhões de dólares.

 

Em Fevereiro de 2013, o Portal Maka Angola dava conta de um outro esquema envolvendo o GRECIMA, na canalização de fundos do Estado para dois filhos do PR.

 

“O Orçamento Geral do Estado (OGE), a ser aprovado a 14 de Fevereiro, atribui a dois filhos do Presidente (os já mencionados Tchizé e Coreon Dú) quase US$60 milhões. Esta verba chegará aos entes de José Eduardo dos Santos por via do GRECIMA”, escreveu o portal Maka Angola..

 

Segundo ainda o Maka Angola, o GRECIMA como “uma estrutura que usurpou grande parte das competências do Ministério da Comunicação Social e, na prática, Tchizé e Coreon Dú são os seus verdadeiros patrões. Por sua vez, O GRECIMA transfere os fundos para a Semba Comunicação, a empresa dos filhos do presidente, contratada para melhorar a imagem do regime.”

 

Para o mesmo portal “Esta é mais uma chocante demonstração da pilhagem do dinheiro de todos os angolanos, pessoalmente comandada por José Eduardo dos Santos. Esfumam-se, cada vez mais, as esperanças dos ingénuos e dos que teimavam em acreditar que o presidente teria condições de levar a nau angolana a porto seguro.”

Ministro nomeia atriz de novela como sua consultora

Lisboa - O Ministro da Juventude e Desportos de Angola, Gonçalves Muandumba nomeou recentemente a atriz e cantora Neide Núria de Sousa Van-Dúnem Vieira, 30 anos, para o cargo de Consultora do órgão governamental que dirige. A decisão consta no Despacho n.º 1974/16 que o Club-K teve acesso.

Fonte: Club-k.net

Mesmo sem ter experiência de trabalho

A nomeação está a  causar interrogações tendo em conta que a figura de consultor estar  associada a um profissional com larga experiência em uma determinada matéria e que é procurado para dar ou fornecer consultas técnicas ou pareceres, a respeito de assuntos ou matéria dentro da sua especialidade. De acordo com consultas, este não é caso da recém nomeada  Neide Van-Dúnem Vieira a quem fontes internas desconhecem em que área ela se especializou para se tornar consultora do ministro. Sabe-se apenas que esteve a fazer uma formação de cinema no exterior. 

 

Nascida aos 4 de Julho de 1986, Neide Núria de Sousa Van-Dúnem Vieira é uma cantora, compositora, e atriz Angolana. Neide deu início à sua carreira artística no teatro de Luanda durante o ano de 2003 com apenas 17 anos, e teve a sua estreia em televisão na mini-série "Sede de Viver" um ano mais tarde. A sua carreira musical começou oficialmente em 2007 com o lançamento da música "Olá Baby", incluída no álbum de compilação Eu e Elas (vol 1), em dueto com Caló Pascoal.

 

Em Outubro de 2015, foi destaque nas redes sociais ao revelar no seu perfil de instagram que está cansada dos assédios dos homens endinheirados.

 

“Podem chamar me antiquada e sem sal, dizer que me visto mal e que é uma vergonha não conduzir um carro de ultima geração e andar revestida de ouro e Michael Khors ou seja lá que marcas estão na moda, mas A MINHA DIGNIDADE NÃO ESTÁ A VENDA e nem nunca estará. Dinheiro nenhum...Eu Disse NENHUM há de tira-la de mim. O meu corpo é precioso e toca nele quem merece essa honra. Tudo o que possuo e hei de possuir será pelo meu trabalho digno e pelo favor do Meu DEUS maravilhoso que nunca me desamparou... E sim estou a mandar recados porque estou farta desta M***a de todo homem com dinheiro achar que todas as mulheres da cidade estão desesperadas atrás de dinheiro e não merecem respeito... Ganhem juízo”, revelou.

 

Dias depois deu uma entrevista a revista Platina Line, tendo explicado que a sua ausência deve-se a formação em cinema que esta a fazer nos "Estados Unidos"  propriamente em "Los Angeles"  e recentemente gravou um filme na ´´África do Sul´´ que seria exibido em breve.

 

Na entrevista, a actriz não escondeu o desejo de participar em alguns projectos de cinema a nível nacional, e pretende contribuir com o desenvolvimento do cinema nacional pondo em pratica tudo o que aprendeu nos "estados Unidos".

Sonagás privatizada a favor de Isabel dos Santos

Lisboa - Circulam em meios financeiros informações segundo as quais a PCA da Sonangol E.P., Isabel dos Santos planeia ensaiar-se com um processo de privatização de duas súbsidiarias da petrolífera estatal, neste a “Sonangol Distribuidora” e a “Sonangol Gás Natural (Sonagás)”.

Fonte: Club-k.net

O tema da privatização destas duas empresas, está a ser sustentado com complementos de que Isabel dos Santos estaria a constituir a partir do exterior uma “empresa privada de derivados de petróleos”, aparentemente afastada dela, que ficariam com os ativos tanto da “Sonangol Distribuidora” como da “Sonangol Gás Natural (Sonagás)”.

 

Ao concretizar-se, Isabel dos Santos, a semelhança da Puma Angola do trio (Leopoldino do Nascimento, “Kopelipa” e Manuel Vicente) poderá entrar no monopólio do negócio da distribuição dos combustíveis em Angola.

 

Um segunda solução que está a ser aventada sugere a fusão da “Sonagás” a “Sonangol Pesquisa e Produções”. Neste cenário, a “Sonangol Pesquisa e produção” passaria a receber os projectos em curso da “Sonagás” que em breve passará a funcionar num edifício no eixo viário, no Municipio da Ingombota.

 

A razão invocada para a privatização das duas empresas é remetida a justificações de que a empresa esta com problemas de tesouraria e que necessita de atrair capitais.

 

Sonangol a beira da falência

 

Numa recente abordagem sobre o problema desta empresa, o portal Maka Angola, revelou que a Sonangol deve US $1 bilião à Trafigura pela importação de combustíveis, e a situação poderá gerar mais uma crise no país.Há já vários anos, a importação de combustíveis, nomeadamente gasóleo e gasolina, é praticamente dominada pela Trafigura, uma multinacional suíça.

 

Através da sua subsidiária Puma Energy, que actua em Angola, a Trafigura é sócia do trio presidencial composto pelos generais Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, Leopoldino Fragoso do Nascimento e Manuel Vicente, bem como da própria Sonangol.Recentemente, a Sonangol tentou obter um financiamento de US $800 milhões junto de um banco sedeado no Egipto, propondo como garantia as suas acções no banco Millennium BCP em Portugal, para pagamento da referida dívida.

 

O general Leopoldino Fragoso do Nascimento, que actualmente dirige os negócios da Trafigura em Angola, assim como do trio presidencial, tem sido o grande elemento de pressão para que a Sonangol pague a dívida.Com a mudança de administração, as negociações finais para a concretização do empréstimo foram transferidas para a gestão de Isabel dos Santos.

 

Das cinco prioridades da petrolífera nacional constam a resolução da dívida à Trafigura [e ao trio presidencial], bem como o pagamento da compra das operações da Cobalt International em Angola, que se tinha associado à empresa Nazaki Oil & Gas, do trio presidencial.

TAAG desentende se com a Emirates

Lisboa - O acordo de gestão entre a Transportadora Aérea Angolana (TAAG) e a Fly Emirates está a ser prejudicado por alegadas interferências do regime angolano culminando com registro de desentendimentos  entre as duas partes. 

Fonte: Club-k.net

Emirates  suspende empresa da Ana Paula que presta serviços a TAAG  

De acordo com conhecimento as divergências entre as duas partes acentuaram-se no seguimento da implementação de medidas de austeridade financeira partindo pela redução e cortes de despesas que estão a  enfrentar  oposição do regime.

A saber:

- A Emirates propõe a suspensão da rota Luanda - Praia (Cabo Verde) alegando  ser uma rota não rentável. Por outro lado as autoridades angolanas opõem-se da decisão. Fontes próxima ao processo suspeitam que a oposição das autoridades, deve-se ao facto de Cabo Verde ser um paraíso fiscal, onde ultimamente muitos dirigentes deslocam-se devido aos interesses empresariais que tem naquela localidade e também para motivos de visita privadas com as suas  amigas.


- A Emirates suspendeu temporariamente os contratos com as empresas responsável pela formação de quadros. As autoridades sobretudo, o palácio presidencial mostra-se totalmente oposto por a decisão afectar a Lunar-DT, empresa da Primeira Dama, Ana Paula dos Santos. A Lunar-DT é uma escola que apoia  na formação do pessoal navegante de cabine da TAAG e, responsável pela confeição dos novos uniformes das hospedeiras.

- A Emirates submeteu recentemente as propostas de reestruturação das delegações da TAAG no exterior que no seu entender tem pessoal a mais e gastam muitos recursos. O caso esta a criar desconforto  entre os funcionários das  respectivas delegações.

No seguimento das divergências entre as duas partes, apareceu, há uma semana,  no gabinete do PCA da TAAG, o inglês Peter Murray Hill, um papel colado da porta com os dizeres “Peter Murray vai-te embora.”. Logo depois disso, circularam rumores  de que estariam a ocorrer movimentações junto ao Palácio Presidencial no sentido de influenciar o fim da parceria entre as duas empresas ou a exoneração do actual PCA, Peter Hill.


O acordo bilateral de parceria estratégica foi assinado a 29 de Setembro de 2014 e, depois de um período de graça, a TAAG passou finalmente a voar, em 2015, sob gestão exclusiva da transportadora do Médio Oriente do Grupo Emirates.

O negócio visa ajudar a companhia nacional de bandeira a reverter, até 2019, os prejuízos estimados em 99 milhões de dólares (cerca de nove triliões e 900 biliões de kwanzas) de 2014. Através desta parceria, o Governo angolano prevê, dentro do período vigente, resultados operacionais positivos de cem milhões de dólares (perto de AKZ dez triliões), conforme o Plano Estratégico e de Negócios da TAAG, no âmbito do Contrato de Gestão celebrado com a Fly Emirates.

A formação de angolanos na academia da Emirates (no Dubai) e a introdução de uma gestão profissional de nível internacional são os objectivos principais deste contrato, que assenta ainda na reestruturação financeira da empresa, com a meta de facturação anual a passar de 700 milhões de dólares, em 2014, para USD 2,3 biliões, até ao final do pacto.

No quadro desta cooperação, o inglês Peter Murray Hill é o novo presidente do Conselho de Administração, em substituição do angolano Carlos Teixeira da Cunha, que assume o actual posto de administrador-executivo, e Vipula Mathanga Gunatilleka.

Os demais cargos administrativos têm à cabeça Patrick Rotsaert (administrador para Área Comercial) e Donald Ian Hunter (administrador para Área das Operações), ao passo que Luís Eduardo dos Santos, Arlindo de Sousa e Silva, Mário Rogério Henrique de Oliveira Von Haff e Adelaide Isabel de Sousa Godinho preenchem as vagas de não-executivos.

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos