Lisboa –  É-lhe reconhecida a habilidade  de um líder nato  tanto   na forma de mobilizar como na sua forma de ser orador. A 10 de Março, foi preso por promover uma manifestação em Benguela.   Ao ser levado no carro da polícia, mostrava ter  a moral  alta e sem medo gritava que “o regime do Presidente José Eduardo dos Santos, iria cair”, o mesmo aconteceu na cela em que foi posto, acabando por ganhar simpatia dos funcionários do Tribunal e dos  agentes da polícia  que  por de trás manifestavam-lhe apreço.


Fonte: Club-k.net

Líder da manifestação de 10 de Março

Enquanto os dois outros seus colegas de cela (David Mericano e  Jesse Lufendo) se mostravam  pensativo,  Hugo Kalumbo, o “Carbono” de Benguela  parecia não  se sentir  abalado com a situação de detenção. Falava dos objectivos da manifestação e mesmo na hora de se deitar não reclamava por o terem colocado  numa cela sem condições em que dormia  no chão que lhe servia também para urinar.  


Nascido  na cidade  do Lobito, Hugo Kalumbo fez o ensino primário na escola IECA no Bairro histórico da  Canata  e o secundário no Bairro Praia Bebe hoje desanexado do Lobito. Na altura de fazer o ensino médio, os pais enviaram-lhe para  Luanda, onde estudou  ciências sociais  no colégio Ebony  no bairro  petrangol.


Em 2009 foi admitido na  Casa Militar da Presidência da República. Desejava ser inserido na área de recursos Humanos, já que é a sua área de formação, mas foi surpreendido com botas e fato macacão para ser  mecânico da repartição dos transportes. Aceitou o emprego e continua oficialmente   até hoje. Como mecânico, goza de simpatia e admiração pelos seus colegas, por ser uma pessoa que esta sempre a favor das reivindicações para  melhoria de condições  de trabalho e salariais.


Ainda em Luanda, aderiu ao MPLA fazendo parte do Comitê Municipal da juventude do Sambizanga. Ao mesmo tempo, aprofundou a sua inclinação pela musica rap, começando por escutar os  músicos  Mck e Phater Mak.  Porem, a 4 de Abril de 2011, aproximou-se ao   Movimento Revolucionário dos jovens de Luanda, que lhe motivou acreditar na luta pelo exercício da cidadania  por causa das “injustiças sociais que o governo Angolano tem praticado contra o seu Próprio  povo.”, conforme justifica em círculos que lhe são familiares.

 

Tomou contacto, com a biografia de Nelson Mandela e alguns extratos de Socrates passando  a considerar-se num seguidor destes. A nível das figuras nacionais passou a ter estima em David Mendes, William Tonet, e ao Secretario província do Bloco democrático em Benguela  Francisco Viena, de quem se inspira.  Embora sendo membro da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA), o jovem  Hugo tornou-se também admirador do  pároco   James Flin, que prega na sua terra natal.


Apaixonado pelo movimento reivindicativo,  participou no  primeiro  encontro provincial da juventude de Luanda realizado, a 27 de Janeiro deste ano,  em Viana, sob égide de “Carbono” Casimiro,  Alexandre “Libertador” e Massilon Chindombe. Conheceu também jovens revolucionários de Benguela que se deslocaram a Luanda para  a  conferencia. Percebeu que deveria estar mais envolvido  na luta pela democracia  e no seguimento da marcação da manifestação do dia 10 de Março, o jovem saiu de Luanda  para Benguela para fazer a replica do que iria ter lugar  na capital do país.  Acabaria por ser preso, julgado e mesmo na ausência de provas, foi condenado a 45 dias de prisão convertidas em multas. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: