Lisboa – A Direção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), adstrita a PGR angolana constituiu recentemente como arguidas duas altas funcionárias do Governo Provincial de Luanda que terão incorrido em irregularidades ao tempo em que o general Francisco Higino Lopes Carneiro, conduzia os destinos da capital do país.

Fonte: Club-k.net

Arguidas convocadas para se apresentarem na PGR

Tratam-se de Ilda Maria Jamba, Secretaria Geral e Bernadeth Guimarães Teixeira Dalva Rodrigues, diretora do Gabinete de Estudo e Planeamento do GPL, que anteriormente exerceu funções semelhantes na província do Kuando Kubango. Ambas, segundo apurou o Club-K, foram convocadas pela procuradora Esperança Liberal, para se apresentarem no dia 23 de Outubro, porém, em conformidade com o volume de evidencias contidas no processo, fonte que acompanha o assunto, não tem duvidas que lhes serão, neste dia, decretadas privação das suas liberdades, nos termos de “uma prisão preventiva”.

 

Francisco Higino Lopes Carneiro não foi formalmente ouvido devido as imunidades parlamentares, porém, conforme leituras pertinentes indicam que “tudo vai reencaminhar para o general porque era ele quem homologava as transgressões que envolvem as duas senhoras que eram suas subordinadas”.

 

Também no mês passado, a PGR teve dificuldades em ouvir Yolanda Marina Isaac Carneiro, filha de Higino Carneiro, a fim de colher a sua versão respeitante a empresas suas que aparecem como beneficiarias de uma esquemas de irregularidades envolvendo a comissão administrativa da cidade de Luanda, então chefiada pelo seu pai-general. As dificuldades em ouvir Yolanda, deveu-se a sua ausência do país por conta de uma gravidez de risco.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: