Luanda – A saga da venda de patentes continua nos órgãos tutelados pelo Ministério do Interior. Depois da polícia nacional, agora o descontentamento tomou conta dos efectivos do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros que estão há de dez anos a ser ignorados no que tange a promoção. Os mesmos garantem que estão a ser cobrados valores exorbitantes para usufruir as patentes que lhes cabe.

Fonte : Club-k.net
Os revoltantes pedem urgentemente à intervenção do Presidente da República, João Lourenço, na qualidade de Comandante-em-Chefe e aos seus órgãos auxiliares uma vez que estão cansados de tanta injustiça injustificáveis, apesar da crise económica que o país atravessa.

Segundo os denunciantes (alguns dos quais a participarem neste momento nos cursos de oficias), os comandantes e os responsáveis das áreas dos recursos humanos estão a cobrar, por exemplo, 500 mil kwanzas para o efectivo quer ser promovido a patente de sub-inspector. Quanto as patentes de primeiro, segundo e terceiro sub-chefe os preços cobrados variam de 400, 300 e 200 mil kwanzas.

Os descontentes acusam o ministro do Interior (Ângelo de Barros Veiga Tavares), o director dos recursos humanos (Froz Adão Manuel) e a inspectora geral (Margarida de Barros), todos do MININT, de serem os promotores deste conluio, que mancham a luta contra à corrupção combatida pelo actual Executivo. «Eles são os causadores da nossa desgraça», garantiram.

Na carta denuncia enviada a redacção do Club K, estes efectivos do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, à nível nacional, dizem estar cansados de tanta humilhação e injustiças. «Nós trabalhamos em zonas de altos riscos para salvarmos pessoas de vários incidentes e nunca nos dão valor, sinceramente senhor Presidente!», exclamaram.

Apesar de estarem há mais de um mês na Escola Nacional dos Bombeiros, em Luanda, a participar nos cursos de oficiais, estes alegam não houver garantias concretas sobre a promoção, uma vez que as patentes estão a ser comercializadas à olho nu. «A maior parte dos participantes [uns vieram das províncias] estão há mais de dez anos sem ser promovidos. Estamos aqui sem saber o que será de nós depois do fim do curso que eles inventaram», lamentaram.

Os denunciantes prometem promover uma manifestação no dia 20 de Março do corrente, caso o Presidente da República não pôr cobro a esta situação humilhante. «Nós vamos fazer uma manifestação até no Palácio Presidencial no dia 20 de Março, porque estamos cansados desta má-gestão do comandante principal dos Bombeiros e os seus adjuntos não nos ajudam em nada», prometeram.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: