Luanda - Chegou a nossa Redação, vários documentos que transparece a gestão danosa, prática de corrupção e nepotismo por parte da Direção do Conselho Nacional da Juventude, que tem como Presidente o Sr. Tingão Mateus.

Fonte: Club-k.net

Uma fonte consultada alega que a Direção do CNJ recebeu da IMOGESTIN 40 habitações para distribuir quotas as Associações Juvenis, mas algumas casas foram vendidas a 500 mil kwanzas como ficha de acesso e outras repartidas para familiares do Presidente Tingão Mateus e de Massangano Domingos 2° Vice Presidente.


A fonte disse que a sua associação é membro do CNJ, mas nem se quer ouviu a falar desse dossier.


"Nós vamos levar a questão a PGR para investigar e repor a legalidade. Porque as 40 casas foi-lhes dada para contemplarem as organizações membro do CNJ e não para venderem e repartirem com os seus familiares que nada fazem para o associativismo juvenil", disse.

 

A fonte, alega que o Presidente do CNJ e seus Vices não são sérios, porque já estão no 4 ano do seu mandato e nunca realizaram reunião de prestação de contas aos seus membros, que segundo os estatutos, deve ser uma reunião anualmente.

 

Por isso mesmo a fonte desafia a Direção do CNJ em desmentir as afirmações. Pois tem em sua posse documentos credíveis que sustentam a acusação.

 

É a segunda vez que a Direção do CNJ é acusada de ter cometido crimes de gestão danosa. A primeira vez foi em Agosto de 2018 quando membros da sua própria Direção fizeram um abaixo assinado, acusando-os de vários crimes.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: