Lisboa –  O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, concedeu estatuto de associação de utilidade pública a Fundação Africana de Inovação (African Inovation Foundation), que tem o seu filho   José Filomeno dos Santos como co-fundador.


Fonte: Club-k.net

“Mãos Livres” e ADRA rejeitadas

O decreto que reconhece a referida instituição foi assinado a margem da  sessão do Conselho de Ministros de 12 de Dezembro do ano transacto, sem no entanto ter sido objecto de destaque na imprensa estatal.  Trata-se de um estatuto especial concedidos a associações que prestam serviços que beneficiam a sociedade cuja condição é ter três anos de trabalho efectivo junto a sociedade angolanas. Nesta condição, a    Fundação Africana de Inovação (embora não ter os três anos de trabalho efectivo) fica habilitada a  beneficiar mensalmente de fundos do Orçamento Geral do Estado para cobrir as suas actividades, e lhe passa a ter direitos de isenção de impostos a semelhança da FESA, AJAPRAZ e etc.

 

Há sete anos atrás, as autoridades angolanas rejeitaram conceder o mesmo estatuto (de utilidade pública) a associação dos Direitos Humanos “Mãos livres”. Em resposta JES invocou que teria de ser o ministério da Justiça a levar a proposta ao Conselho de Ministros.  A dois anos atrás esta associação tornou a fazer o mesmo pedido cuja resposta aguardam. Outra ONG  que rejeitada pelas autoridades  é a prestigiada ADRA – Acção para o Desenvolvimento Rural de Angola, liderada por Guilherme Santos.  Respeitante a AJPD (Associação Justiça Paz e Democracia), que tem o seu processo pendente, o  ministério da Justiça  invoca  que devem  mudar o seu estatuto orgânico.

 

A  Fundação Africana de Inovação que acaba de ser reconhecida pelas autoridades angolanas  é um projecto inicialmente registrado na cidade de  Zurique, a 20 de Outubro de 2009. Consta no seu  objectivo social  “promover e apoiar projectos de desenvolvimento sustentável dos países do continente Africano no que diz respeito à educação, saúde, conservação, investigação, desenvolvimento arquitetônico e na promoção do bem-estar geral da população que vive em  África”.

 

José Filomeno dos Santos e o seu sócio dos negócios Jean-Claude de Morais Bastos (adminitrador do Banco Kwanza) estavam como membros do Conselho de Curadores do projecto quando estava sedeado em Zurique. Faz igualmente parte desta fundação, o alemão Ernst Welteke, presidente conselho de administração do Banco Kwanza.

 

Em Outubro de 2011, a Fundação Africana de Inovação em parceria com  a Comissão Económica das Nações Unidas para a África,  promoveram  o Prémio “Invocação para África, um prémio que teve  como objectivo mostrar inovações para o desenvolvimento sustentável do Continente Africano. “Zenu” dos Santos que foi  a figura que deu voz a iniciativa foi   apresentado pela RNA e TPA como “O Co-fundador” da referida fundação.  



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: