Benguela  - O governo de Benguela decidiu nesta quinta-feira, 05,  proibir a manifestação convocada por um grupo de jovens para este sábado, 10, no sentido  exigir a saída da advogada e dirigente da OMA, Suzana Inglês do cargo de Presidente da Comissão eleitoral e uma nova estratégia da politica do executivo angolano para estancar os actuais níveis de desemprego que assolam o país.


Fonte: Club-k.net


Numa carta entregue na manha desta quinta-feira aos membros da organização da manifestação, o executivo daquela província sem invocar muitos argumentos legais justifica a proibição com o facto do itinerário escolhido pelos manifestantes passar a menos de 100 metros das sedes municipal e provincial de um partido  politico (a carta não revela o nome do referido partido), o que segundo alegam as autoridades de Benguela contraria os princípios plasmados na constituição Angolana relativamente as manifestações.

 

Outro motivo segundo uma fonte do governo prende-se com a segurança. "Há imperativos de segurança. A manifestação na cidade de Benguela corre o risco de gerar desordem", declarou à  fonte imprensa. Segundo argumentou, uma vez que no mesmo dia está marcado uma outra actividade da OMA para saudar o dia internacional da mulher, celebrado a 8 de Março.

 

Os organizadores da manifestação prometem reagir a decisão do governo na manha desta sexta-feira, 9, mas garante que mesmo com a proibição poderão de fazer as ruas da cidade de Benguela.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: