Luanda  - As bebidas nacionais angolanas, nomeadamente as cervejas Cuca, Nocal, N’Gola, alguns vinhos como o Vinul e a Gaivota e as gasosas Blue e Youki são recusadas para os alembamentos de muitas famílias bantu, nomeadamente de pessoas de etnia Kikongo, por custarem baratas.


*Makuta Nkondo
Fonte: Angolense


A cerveja Cuca em lata é a mais recusada nos alembamentos. A gasosa Blue eh considerada Sumo, por faltar gás.  De igual modo, para as mulheres, peças de pano que não sejam Super Wax Hollandes, Blusas e jóias que não sejam de ouro puro são recusados.  As jóias, principalmente brincos que não sejam de ouro puro, mesmo que brilhem são chamados de “Manzanza ya bière” o que significa em Língua Portuguesa de “Lata de cerveja”. “Nem tudo que brilha é ouro” – diz-se.

 

Para os homens, roupa como os casacos, camisas, camisolas, meias e calcados que não sejam de qualidade aceitável ou de fardo que - em lingala chamam-se Tombola-buaka, o que quer dizer em língua portuguesa “Levanta e atira” ou em Kikongo por “Fwa dia mvita” (Heranca de óbito) não são aceites para o alembamento.


No acto do matrimónio, depois de a apresentação dos bens pedidos para o dote – que se chamam em Kikongo por Nkolo mia longo – conhecedores de ambos sexos escolhidos pela parte da noiva entram no centro para examinarem a qualidade dos mesmos.


Começam pelos vestuarios da mãe e da tia que sao compostos de pecas de pano Super Wax Holandeses, Blusas, Lenços de cabeca, Jóias (brincos e fios) e calcados.


Vão ao fato completo do pai – Fato completo significa casaco, calca, camisa, cinto, gravata, calcados e meias - , um ou dois cobertores de la e um ou dois casacos sobretudos para o(s) avó(s).


Terminam nas bebidas excluindo a Cerveja Cuca, as gasosas Youki e Blue, Nsamba cujo recipiente não seja fechado com ramos de palmeiras e colas partidas como recomenda a tradição bantu.


Cabe a estes especialistas fazer aceitar ou rejeitar pela parte da noiva os bens apresentados pelo noivo para o alembamento.

 

Isto aconteceu ultimamente com um jovem cujas cervejas e gasosas, assim como os vestuários para a mãe, a tia, o pai e avo foram rejeitados pela família da noiva. As cervejas eram todas de marca Cuca em lata, as gasosas e os vestuarios eram do Kikolo ou de “fardo”. Também o dinheiro que as famílias da noiva pediram era incolpleto.  Apesar disto, a parte da noiva aceitou o pouco que o jovem acertou com a recomendação de um dia, quando tiver possibilidade, de completar os bens em falta ou melhor substituir os que foram recusados. No dia da entrega dos bens a serem substituídos, uma outra sentada será organizada entre as partes da noiva e do noivo.


O jovem - que já convive com a mulher – foi autorizado a levar a sua esposa em casa. Mas os pais da mulher não deram todos os poderes de marido a noivo. Estes poderes chamam-se em Kikongo “Nsamu ye Matamba”.

 

Significa que o matrimónio foi incompleto e precisa de ser concluído. Apenas lhe deram o “Nsangu” – poderes de informar a família o sucedido com a esposa ou filhos.


Na tradição kikongo, não é obrigatório pagar a totalidade da factura do alembamento de uma só vez. O dinheiro e os bens pedidos podem ser pagos em partes, dependendo da capacidade financeira do noivo, até completar tudo.


Assim diz-se que “O longo nkua nzila zole, ya ntatu, o nkento ovuete o nsanga yo nlele” (O alembamento efectua-se duas vezes, a terceira concluí-se). Há alembamento em que a parte financeira é dada mais tarde, depois da esposa chegar à casa do marido.


Só em defesa da honra, que os noivos preferem pagar tudo duma só vez. Neste caso acima referido em que as cerveja Cuca e gasosas Blue, assim como as pecas de panos e fatos, foram rejeitados, a família da mulher recorreu ah tradição Kikongo de o matrimónio não encerrar no mesmo dia.


Eis, a seguir, um exemplo de bens que são geralmente pedidos num alembamento Kikongo. A “factura” subdivide-se em parte paterna, materna, dos avós paternos e maternos e da tia da noiva.

 

1) – Clã  paterno (Kise):


- Dinheiro (Nkand´a mbongo): USD. 600 (Seiscentos dólares norte-americanos).

- Um facto completo (casaco, calça, camisa, colete, camisa interior,  
  gravata)

- Um par de calcados

- Oito (8) grades de cerveja diversa (Cuca em lata, não)

- Seis (6) grades de gasosa diversa (Blue e Youki, não)

- Duas (2) grades de Água tónica

- Dois garrafões de vinho Tinto

- Uma (1) garrafa de Whisky velho 

- Uma (1) garrafa de Dry Gin

- Uma (1) garrafa de Champanhe francesa

- Dez (10 litros) de bebida de palmeira (Nsamba)

- Funda kia makazu (Cola)

- Dinheiro equivalente ao preço de um candeeiro Petromax

- Dois galos

 


2)– Clã materno (Kingudi):

            - Dinheiro (Nkutu a Mbau): 350 USD (Trezentos e cinquenta
              dólares norte-Americanos).

- Uma peça de pano Super Wax Holandês

- Uma (1) blusa de qualidade

- Um (1) par de calçados para a mãe

- Jóias (brincos e fio em ouro)

- Um (1) lenço de cabeça

- Dois (2) garrafões de vinho Tinto

- Uma (1) caixa de Vinho

- Uma (1) garrafa de Cinzano


- Seis (6) grades de cerveja diversa (Cuca em lata, não)

             - Seis (6) grades de gasosa diversa (Youki e Blue, não)


            - Uma cabra chamada “Nkombo e  Bunda”

 

3) – Parte dos avós:

       a) - Avô materno:

       - Dinheiro: 150 USD (Cento e cinquenta dólares norte-americanos)

       - Um (1) cobertor em lã 

        - Um casaco sobretudo

 

  b) – Avô paterno:

      - Dinheiro: 150 USD (Cento e cinquenta dólares norte-americanos)

      - Um (1) cobertor em lã

      - Um casaco sobretudo 

  

4) – Tia da noiva:

- Uma peça de pano Super Wax Holandês

- Uma Blusa de qualidade

- Um par de calçados

- Jóias (brinco e fios) em ouro puro

- Um (1) lenço de cabeça

 

A “factura” acima eh modesta, pois alguns clãs (makanda) ou famílias bantu tendem a transformar o alembamento em comércio, pedindo aos pretendentes das suas filhas o pagamento de montantes de dinheiro exageradamente altos.


Outros dão-se o luxo de pedirem bens como viaturas, casas, talhões de terra (terrenos) para construção de imóveis ou geradores eléctricos diesel de alta potencia.  Antigamente, era pedido um candeeiro Petromax, mas este caiu em desuso e não deve ser substituído por um Gerador eléctrico cujos preços não se comparam.


Nenhum matrimónio bantu inclui os referidos bens e uma fortuna em dinheiro. Quem pedir estes bens e montantes exorbitantes de dinheiro para alembar a sua filha comete uma aberração na cultura bantu.


Em algumas regiões dos bakongo como na Província do Zaire, o alembamento realiza-se no lumbu (quintal) dos pais da noiva.


Noutras regiões como no Uige, a sentada do casamento decorre em casa dos pais do noivo, para possibilitar ao noivo de recorrer à sua casa em caso de uma eventual falta.  “Onkua evumbu, umbudila dio vana nzo andi” (O furúnculo rebenta-se em casa de quem o tem, para se apoiar ah parede da sua casa) – diz um provérbio kikongo do Uige.


*Makuta Nkondo



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: