Luanda – O Ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomas é criticado numa carta aberta, posta circular pelos  funcionários daquela repartição  por alegadamente efectuar  o pagamento de 125 mil dólares por cada palestra  que  um professor  universitário,  Amândio Vaz Velho ira  proferir no ciclo de seminários  realizados  por aquele ministério de  26 de Abril a 31 de Maio.


Fonte: Club-k.net

Trabalhadores  há 4 meses sem salários

O ciclo de seminários foi dedicado ao tema  “felicidade dos trabalhadores – Empresas Felizes” promovido pelo Ministério dos Transportes e contou com um discurso do  Presidente da República José Eduardo dos Santos.


“As 12 ou 13 palestras serão proferidas pelo Sr. Professor Dr. Amândio Vaz Velho, um eminente professor Angolano, mais para cada palestra o Ministério dos Transportes desembolsará a “modesta” quantia de 125.000.00 Dólares dos Estados Unidos”, Le-se na carta dos funcionários.


As criticas dos funcionários prendem-se pelo facto de constatarem sectores do ministério que se encontram  com salários em falta como é caso dos Caminhos de Ferro de Luanda, citado pelos mesmos como um “um caldeirão que a qualquer momento pode voltar a explodir”.


Por esta razão os reclamantes  que não vêem  motivo para este ciclo de seminário, “encenando a felicidade dos trabalhadores”.  Para reforçar as suas argumentações, revelam que nos Caminhos de Ferro de Benguela e Moçambedes, há também atrasos de 4 ou 5 meses. “como se pretende que estes se sintam felizes”, perguntam os trabalhadores.


“Será que o  Sr Ministro, entende que palestrar, e fazer dançar os trabalhadores no momento lúdico e cultural e a distribuir carrinhas e outros premio de um sorteio que mandou realizar, são o suficiente para fazer feliz um homem ou mulher que vem contraindo dividas para sustentar o seu lar, porque a 4 ou 5 meses não recebe os seus salários?”, questionam.


Adiantam ainda que “Não esquecemos que o atraso no pagamento dos salários é uma situação criada pelo próprio Ministro Augusto Tomas, quando a revelia dos seus colegas do Ministério da Economia e das Finanças, assumiu no ano passado uma tabela salarial para as três empresas Ferroviárias, passando o salário mínimo para Kuanzas 34.000.00”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: