Luanda  - No passado dia 3 de Maio, precisamente no dia da Liberdade de imprensa, o director do F8, William Tonet (WT), poderia ou estar gravemente hospitalizado ou morto. É verdade, WT foi vítima de mais um atentado à sua vida. Nem mais nem menos, mais um atentadozinho, o que já se está a transformar numa espécie de normalidade doentia.


*Ankara Sankala
Fonte: Folha8

No dia da liberdade de imprensa

O referido atentado não foi perpetrado directamente sobre a sua pessoa, mas numa intervenção mecânica à sua viatura, com o intuito de criar condições para um acidente que poderia causar danos irreparáveis.


A viatura de WT, um jipe branco Lincoln, pernoitou do dia 02 de Maio para o dia 03 em garagem segura e de manhã foi inspeccionado.  Nesse mesmo dia, WT saiu de casa com motorista em direcção ao Semanário Angolense, a Rádio Eclésia e ao Novo Jornal, nesses destinos, enquanto WT foi cumprir os seus compromissos, o motorista ficou à espera dentro do carro. E, aproveitando a ausência do seu responsável, resolveu ir ao banheiro e quando regressou instalou-se confortavelmente no banco de trás e resolveu bater uma boa soneca, mas já o trabalho sujo dos algozes estava feito.


Quando WT regressa do serviço que havia efectuado, o motorista arranca e sobe a António Barroso dá a volta à pequena rotunda que se encontra perto do hotel, enfia na via à esquerda e logo a seguir vira à direita, pela rua do Hotel Fórum.


Nessa altura, apareceu uma viatura vinda da retaguarda, que começou a buzinar, como que a avisar. O carro de WT afrouxou, a viatura em questão ultrapassou-o e parou mais à frente. Era um amigo esse automobilista prudente, no caso, o escolta policial, que regularmente acompanha Abel Chivukuvuku. Foi ele quem alertou WT que a roda traseira do seu jipe estava a abanar de modo muito suspeito e que era preciso antes de ir mais longe verificar o que se estava a passar.


Abençoado! Sem a sua intervenção o pior poderia ter acontecido…


Mas o que e que tinha acontecido, então?


Aconteceu que um grupo de profissionais do mal, a mando sabe-se lá de quem, despertou de forma engenhosa os pernos da roda de trás da sua viatura e não fosse o carro do WT ter sido imobilizado na rua do hotel Fórum, bem ao lado do hotel Alvalade, seguramente teria entrado noutra estrada de maior movimento, saltaria a roda e o pior poderia ter acontecido se a Avenida Ho Chi Min estivesse com pouco trânsito, permitindo uma aceleração…com as rodas de trás a saltar do carro, este a resvalar, as rodas a danificarem tudo quanto se encontrasse nas suas trajectórias…


Imagine-se o prejuízo sem pensar no pior, um acidente mortal, criminoso, por trás duma fachada de normalidade.


Naquele 03 de Maio, dia da Liberdade de Imprensa, quem por lá passou pela rua do hotel Fórum, entre as 13h10 as 23h00, seguramente deparou com o pneu do jeep branco imobilizado e com as rodas de trás no ar….sem os pneus!


Foi preciso tirar o tambor e ir à procura de um técnico mecânico para retirar as outras metades que estavam no interior do tambor.  Graças a Deus não foi desta que aconteceu o pior, em ano eleitoral, em que muitos devem estar marcados para morrer.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: