Caxito – A entrada em funcionamento da Barragem Hidroeléctrica das Mabubas, arredores da cidade de Caxito, reinaugurada hoje, segunda-feira, foi considerada um ganho para a província do Bengo e o país, devido aos benefícios energéticos que vai proporcionar à população.


Fonte: Angop



http://a4.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash3/526711_406122946076987_100000378554072_1236810_1063426832_n.jpgEste pronunciamento foi avançado pelo ministro de Estado e da Coordenação Económica, Manuel Vicente, quando orientava à cerimónia de reinauguração, tendo realçado o grande esforço desenvolvido pelo Executivo, liderado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na materialização do projecto.


“Estive cá pela última vez há 26 anos quando iniciou a época dos derrubes de postes de transporte de energia eléctrica, essa barragem ficou fora de serviço nos últimos 20 anos e foi agora recuperada com grande esforço do Executivo, liderado pelo nosso Presidente, José Eduardo dos Santos”, salientou.


Com o funcionamento da barragem, frisou, quem vai ganhar é a região do Bengo e o país, visto que o fornecimento de energia eléctrica à província era feita através de produção térmica, que acarretava muitos custos e inconvenientes.


Justificou que, gerar electricidade à base de gasóleo é muito caro e o país não é auto-suficiente na produção desse produto, uma parte dele tem de ser importado, além dos efeitos nefastos que provoca ao meio ambiente.


Disse, na mesma senda, que a produção de energia a partir da barragem hidroeléctrica é uma energia limpa, saudável e fiável e mais segura.

Com o arranque do empreendimento hidroeléctrico, ressaltou, a população e a cidade de Caxito ficam auto-suficientes no aspecto de abastecimento energético, sob o ponto de vista da iluminação eléctrica.


“Cada um de nós que, no quadro das suas iniciativas, pode desenvolver actividades económicas, porque não é possível fazer desenvolvimento da actividade económica com base só na produção térmica”, reconheceu.


Garantiu que o Executivo, em colaboração com o governo do Bengo, vai prosseguir com o programa de electrificação de todos os municípios da província.


Segundo o responsável, a energia que não for consumida no Bengo, pois será absorvida também pela província de Luanda, para reduzir o deficit energético na capital do país.


“Devido o alto crescimento populacional da capital do país, há um défice de produção e abastecimento de energia eléctrica à cidade de Luanda, que será minimizado com o fornecimento energético a partir da Barragem das Mabubas”, referiu.


A Barragem Hidroeléctrica das Mabubas foi destruída duas vezes durante o período de guerra, na década de 1980 e em 1992, respectivamente, na época possuía uma capacidade instalada de 17 Mw, actualmente ampliada para 26,8 Mw.


Participaram da cerimónia o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, o secretário de Estado da Energia, Joaquim Ventura, governador provincial do Bengo, João Bernardo de Miranda, directores nacionais do sector da Energia e Águas, entidades religiosas, líderes tradicionais, entre outras entidade convidadas.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: