O juiz-conselheiro do TC Onofre dos Santos fez hoje o anúncio da decisão, afirmando que não foi dado provimento ao recurso da UNITA, que alegava a existência de irregularidades durante a votação em Luanda nas eleições legislativas de 05 e 06 de Setembro.

O porta-voz da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, perante a decisão afirmou que o partido "não se surpreende porque era o que estava à espera", adiantando que o TC "falhou quando confrontado com a possibilidade de assumir a sua independência do poder político".

"Vamos agora partilhar os fundamentos do nosso recurso com a sociedade angolana. Não estamos à espera de ter a razão das pessoas que não nos deram na justiça, mas sim para tentar evitar que sucedam as mesmas anomalias em futuras eleições", afirmou.

Adalberto da Costa Júnior admitiu que "fazer com que não tenham mais lugar eleições sem cadernos eleitorais já seria muito bom", sublinhando que essa foi uma das principais irregularidades apontadas pelo partido do "Galo Negro" nas eleições em Luanda.

Perante esta decisão do TC, que indefere o recurso da UNITA, a CNE vai avançar com os resultados definitivos das segundas eleições legislativas realizadas no país, que estavam dependentes da possibilidade de ser repetido o escrutínio em Luanda, como queria o recorrente.

Fonte: Lusa



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: