Lendo as notícias  vinculadas na imprensa sobre os resultados eleitorais chegamos a conclusão que alguns partidos têm por lei seus dias contados; <<graças a Deus>>. Porque assim, o povo quis, porque assim a lei prega e reza: partidos que não alcançarem 0,51% dos resultados eleitorais  devem ser extintos;<<que alivio>>. A sociedade  civil, em nome da Democracia, do direito, do dever, da moral e da ordem pública que deve ser preservada espera que essa mesmo lei seja cumprida;<<será? Posso acreditar?>>.

Esperamos que O Tribunal Constitucional, a Assembléia Legislativa e quem de direito deve fazer cumprir a lei, execute a vontade e  a ordem manifestada pela nação e o povo nas urnas;<<a esperança é a última coisa a morrer>>. 
Não aceitamos concessões de nenhum tipo. Ora, a lei foi aprovada na Assembléia Legislativa que é o representante máximo desse povo entre os três poderes, e o incumbido de fazer as mesmas leis. Assim, não se pode viver fazendo concessões quando essas regras já foram sentenciadas e ditadas pela própria nação. Os dezesseis anos, ou seis anos antes das últimas eleições foram necessários e suficientes  para a sociedade e o povo determinar que partidos devem continuar na arena política Angolana. Não aceitamos cambalaxos, jeitinho para aqui, jeitinho para lá, ou mesmo procedimentos kazucuteiros  que levariam a salvar essas agremiações partidárias;<<tem algum cabeça de bagre que gostaria de contrariar o que o povo já decidiu nas urnas?>>.

É preciso, igualmente, ser sério e cumprir as regras  exigentes do jogo democrático. Regras são regras e entre elas existem  aquelas que, mesmo sendo populares, diz: estamos cansados de mensagens difusas vindas de todos os lados; carentes de verdadeira informação que, eventualmente, pudesse trazer algum benefício. Estamos cansados do lixo social e político que, às vezes, infelizmente, a própria democracia  produz.

Assim, insistir na existência desses partidos que foram fulminados pela vontade popular é querer conviver com a sujeira, e fazer prevalecer  a idéia de que somos um povo anti-higiênico, que  vive produzindo lixo e que ao mesmo tempo faz questão de conviver  com o mesmo.

Não aceitamos de nenhuma maneira a convivência social com essas entidades que o próprio povo já definiu  sabiamente  a sua posição. Esse é o tipo de rejeição e sentença que nem recurso tem, não cabe apelação ou recurso de nenhum tipo. Foi definido e estabelecido por aquilo que eu chamo  de a  <<ordem do príncipe>> ou  do soberano,ou ainda , do  Povo.

E a decisão foi justa. Porque afinal, acredito que isso  talvez seja um dos motivos, o Povo está cansado de propostas incoerentes,  vindo de mentalidades  que mais estão para provocar o bom senso e a paciência de pessoas sérias e equilibradas que precisam  de trabalhar. Estamos cansados de Organizações,  que muitas vezes ninguém sabe se é um partido de verdade ou é uma ONG financiada pelo milionário  Jorge Soros. Muitas delas na verdade   são uma espécies de Partidos-ONG; seus integrantes,  aproveitadores e famintos, vivem entre  um lado e outro, já não sabem mesmo o que devem defender; e quando defendem,  tudo que lhes rodeia transforma-se  na anti-tese  até daquilo que lhes protege como seres humanos.

Talvez  chegou mesmo a hora de acabarmos com as farras. Sim, essas farras que tanto precisam do dinheiro público para continuarem  a despejar   sobre  todos  os nossos sentidos o barulho e as imagens  que só os homens do PAJOCA , do PLD, do PRD, do FpD e outros por aí sabem fazer. A propósito do FpD, esses sim afundaram, estão pior do que eu: no fundo do poço.<<Quem tudo quer tudo perde>>.

Por outro lado, com relação ao esse lixo todo provocado por essa gente, a Constituição Angola consegue dizer quais são os meus direitos como cidadão, que devo exercer para evitar  que todo  esse entulho indesejável caia sobre mim? Já que nem mesmo exercendo o meu direito de eleitor consigo me livrar deles? Alguém me responde!? Existe por acaso nesse  país o direito do cidadão ou só existe, desgraçadamente e infelizmente, o direito dos partidecos?
Se continuarmos as infringir as leis, depois da ditadura do  partido único, correremos o risco de entrar na ditadura dos partidos que não cumprem as leis. Qual das duas será pior?

Nelo de Carvalho, WWW.a-patria.net
Fonte: Club-k.net



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: