Luanda - Os primeiros conselhos de administração da TPA e da RNA poderão ser suspensos a qualquer momento, passando assim a história sem terem conseguido cumprir na integra seu mandato. Esta possibilidade foi avançada sexta-feira última pelo Novo Jornal (NJ) na matéria de capa que elaborou sobre o regresso de Manuel Rabelais (MR) à ribalta, agora na condição de "Ministro da Propaganda".


Fonte: NJ/Morrodamaianga

MR na condição de “Ministro da Propaganda”

MR foi nomeado recentemente Director do GRECIMA, que é o Gabinete de Revitalização e Execução da Comunicação Institucional e Marketing de Administração, que surge no lugar do anterior GRECIA.


De acordo com o NJ,"Manuel Rabelais como director desta instituição, sob a dependência directa do Presidente para efeitos remuneratórios e de regalias, terá a categoria de Secretário  de Estado e está investido de poderes para apresentar, em breve, uma proposta de alteração dos conselhos de administração da Rádio Nacional de Angola e da Televisão Pública de Angola".


Informações em nossa posse indicam que o processo de substituição já está em curso, restando saber como é que a Ministra Carolina Cerqueira está a reagir a tudo isto, já que em principio será ela que terá de executar formalmente a ordem de abate dos seus colaboradores.

PS -  Em relação a esta informação que está a gerar alguma polémica, alguns anónimos que comentaram o assunto aqui no Clube K, acusaram-me de estar a ter uma postura profissional e pessoal menos digna, tendo adiantado que a iniciativa da demissão dos CAs da RNA e da TPA não partiu de MR mas sim da própria Ministra da Comunicação Social.  Devo esclarecer, embora esteja claro no texto pelas aspas utilizadas e depois pela imagem usada, que a informação em causa não é da minha autoria, mas sim do Novo Jornal, uma fonte que me merece crédito suficiente, o que não quer dizer que o NJ seja infalível.


A informação em referência foi-me depois confirmada por outras fontes que são alheias ao NJ.  As pessoas que me atacaram desta vez, com "argumentos" antigos, acabaram por me dar alguma satisfação. Para  quem é acusado de tirar partido de relações especiais, eu de facto não deveria precisar de citar o NJ. Quanto às ameaças de "purrada a sério", fico à espera, já que não posso fazer mais nada.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: