Washington – Tchizé dos Santos foi recentemente desprezada/retaliada pelos seus próprios  compatriotas  angolanos  no aeroporto de Lisboa que se recusaram em ajudá-la a retirar  a sua bagagem do tapete rolante.


Fonte: Club-k.net

Angolanos perdem sentido de cavalheirismo

Isto é, na manha de  4 de Junho, a empresaria  aterrava no aeroporto de Portela em Lisboa, proveniente de Luanda,  de um vôo da TAP  ao qual se fazia acompanhar da baba da filha Josephine de 5 anos e do bébé de dois anos. Ao passar a imigração, dirigiu-se ao tapete rolante para recolha das suas malas.  Enquanto a baba  controlava  as duas  crianças,  a futura deputada do MPLA  mostrava-se com dificuldade em retirar  as quatro malas que trazia e que aparentavam estar bastante pesadas.


Entretanto, os passageiros angolanos  ao notarem  que a mesma precisava de ajuda, mostraram-se insensíveis  em não socorrer-lhe. A ausência de cavalheirismo  por parte dos seus compatriotas  foi criticada por quem esteve por perto. Por outro lado, pode-se também  deduzir que os  passageiros angolanos  terão, se calhar tido,  algum receio de encostar próximo a ela pensando que uma entidade protocolar solicitada estivesse  a caminho para ajudá-la. Mas não foi isso o que se verificou. Dai  que  continua-se ao não entender o  alegado "desprezada" visto que a mesma  é uma figura que dizem  se dedicar  em criar iniciativas que  prestigiam  os jovens (Angola 35 Grau, Tchalar, Festival de Kuduro e etc).



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: