O resultado do 1º de Agosto, segundo colocado, permite ao Petro de Luanda esticar hoje a diferença pontual para nove, uma vantagem que pode decidir a questão do título. Embora ainda faltem por se disputar 12 pontos, é, no entanto, remota a possibilidade dos tricolores perderem todos os jogos que ainda têm.

Estas contas farão sentido somente se os comandados do treinador português, Bernardino Pedroto, conquistarem os três pontos frente ao Kabuscorp do Palanca, equipa que está a um palmo da ­despromoção.

Com 18 pontos, na última posição, a equipa de Bento Kangamba precisa de somar 14 pontos para manter acesa a esperança de permanecer na maior competição do país. Um empate é o mínimo que o Kabuscorp do Palanca pode desejar hoje.

Na luta pela sobrevivência, o Desportivo da Huíla derrotou ontem o Sagrada Esperança, por 1-0, e deu um grande salto. Da décima primeira posição, os Militares da Frente Sul saltaram para a nona, com 24 pontos.

No entanto, são necessários mais seis pontos para assegurar a continuidade no Girabola. O Sagrada Esperança recuou duas posições face à derrota consentida, e é obrigado a conquistar agora sete pontos para evitar a despromoção.
Noutra partida de ontem, o Petro do Huambo arrancou um empate sem golos diante do Atlético Sport Aviação, ASA. Os aviadores desperdiçaram a oportunidade de resolver em definitivo a questão da fuga aos lugares de aflição, enquanto a equipa do Planalto colocou mais uma pedra na luta ­pela manutenção.

Tal como os militares, os encarnados do Lubango também venceram ao FC Bravos do Maquis, por 1-0, mas os efeitos desta conquista são pouco significativos, por continuarem como penúltimos na tabela.

O 1º de Maio arrancou um empate, sábado, ao Interclube e já pode cantar de galo. A próxima luta dos proletários é melhorar a sexta posição que ocupam. O grande jogo da ronda entre o Santos e o Recreativo, acabou com uma vitória da equipa de Mário Calado, que regressa à terceira posição, com os mesmos 37 pontos que a formação de Calulo.

Fonte: JA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: