Depois do passeio andebolístico das petrolíferas do Eixo-Viário na disputa da Supertaça de Angola, na fase regular e nas meias-finais do campeonato, as aviadoras deram uma resposta competitiva à altura do investimento feito pela sua direcção na modalidade.

Numa disputa equilibrada do primeiro ao último minuto, o ASA, equipa às ordens de Quinteiro Teresa venceu com muito mérito o Petro de Luanda, por tangenciais 30--29, desfecho encontrado nos últimos 10 segundos da partida, através da marcação de uma grande penalidade.

Teresa Joaquim, ex-jogadora do Petro é uma das que estão no activo, comandou a surpresa das aviadoras, que saíram a vencer nos primeiros 30 minutos de jogo por 18-15. As petrolíferas comandadas por Vivaldo Eduardo foram, neste período, uma caricatura do grupo arrebatador que têm sido na competição.

A contradizer o habitual desacerto no segundo período dos confrontos com o Petro de Luanda, o ASA regressou dos balneários com a mesma determinação do primeiro tempo. Contra todas as expectativas, as aviadoras conseguiram levar a toada de equilíbrio até aos derradeiros instantes da partida, cujo marcador registou várias empates.
Em caso de vitória hoje às 18h30, o ASA voltará a conquistar o título nacional depois da última vitória em 1998, no complexo da Banca, sob o comando de Gerónimo Neto “Jojó”. Já o Petro de Luanda vai forçar a disputa do terceiro jogo e aí prolongar a sua hegemonia na modalidade.

No final da partida, Quinteiro Teresa deu os parabéns às suas jogadoras, sem deixar de realçar o valor competitivo do adversário: “Agora será mais difícil, porque uma fera ferida é mais perigosa. Continuo a dizer que o Petro é a melhor equipa de Angola, por isso vamos manter a mesma postura”, sublinhou.

O Electro do Lobito conquistou o terceiro lugar, ao derrotar o Kabuscorp do Palanca, por 24-21, com 13-12 ao intervalo. Contrariamente ao anunciado pela organização, a disputa do bronze deixou de ser a melhor de três partidas, por força da ausência do Misto de Benguela.

Em masculinos, o 1º de Agosto, que assinou ontem a sua exibição menos conseguida na prova, derrotou o Kabuscorp do Palanca, por 22-16, com 10-08 no final dos primeiros 30 minutos. Os militares do Rio Seco, orientado por Filipe Cruz, está a uma vitória da revalidação do título, pretensão que pode ser materializada hoje às 16h30, na segunda partida.

A partida de decisão do terceiro lugar, entre o Grupo Desportivo da Banca e o Sporting de Luanda, será disputada apenas hoje às 15h00, no Pavilhão da Cidadela.

Fonte: JA



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: